O vereador Junior Rodrigues (PTB) participou da reunião com os representantes de igrejas católicas e evangélicas de Dourados e os membros do Comitê Técnico de Gerenciamento de Crise do COVID-19, onde foi discutido a reabertura de igrejas e templos religiosos no município, que estão fechados e proibidos de realizarem cultos, como forma de combate à proliferação do coronavírus, já que, o decreto do Executivo proibi a realização de atividades religiosas.
De acordo com o vereador, o objetivo da reunião foi para pedir à prefeita Delia Razuk (PTB) que flexibilize a realização de atos eclesiásticos na cidade, permitindo que sejam feitas missas e cultos que respeitem os critérios de prevenção à COVID-19 e que tenham a quantidade reduzida de fiéis.
“Em tempos de pandemia, o medo toma conta das pessoas e é preciso cuidar da saúde psicológica e emocional da população com os ensinamentos religiosos. Elas poderem ir à igreja é uma necessidade muito grande. Se uma igreja tem 100 pessoas, a flexibilização permitiria 30 fiéis por culto ou ainda uma missa a cada 2 (duas) hora", afirmou Junior Rodrigues.
Ao final, o Comitê de Gerenciamento do COVID-19 declarou que todas as medidas que envolvem a saúde pública do município são pautadas por decisões técnicas e que levariam ao conhecimento da prefeita Délia Razuk a preocupação dos líderes religiosos.
Já o legislativo, durante sessão ordinária on-line, que ocorreu dia 29 de abril, aprovou o Projeto de Lei nº 029/2020, que define as atividades religiosas como essenciais para o município, em tempos de crises ocasionadas por moléstias contagiosas graves e catástrofes naturais, respeitando os comandos e diretrizes das autoridades de saúde.
Até a data do fechamento desta matéria, a prefeitura não havia se posicionado quanto a liberação das missas ou cultos.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE