Meu compadre Zé Bigode
Veja só como é que pode
O senhor está querendo
O rabinho do meu bode

O meu bode é um animal
Muito feio e esquisito
Tem uma orelha meio da testa
E caroço nos cambitos
Por isso não vendo ele
Porque não acho bonito

Meu compadre Zé Bigode...

O meu bode é um animal
Que não tem medo de nada
Tem o rabo arrebitado
E a língua enrolada
Da uns berros esquisitos
Quando está na envenenada

Meu compadre Zé Bigode...

O meu bode tem um jeito
Que me deixa assustado
Quando ele está pulando
Fica todo arrepiado
Quando para de pular
Solta pum pra todo lado

Meu compadre Zé Bigode...

Autor prof José Vieira Filho Dourados MS, direito reservad



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE