PRF recupera cinco veículos em Miranda

Seis pessoas foram detidas

| PRF


O primeiro flagrante ocorreu na noite desta terça-feira (11). Os policiais rodoviários federais abordaram uma Ford/Ranger, com placas falsas de Sertãozinho (SP). A equipe descobriu que a caminhonete nem havia sido emplacada e já possuía um registro de furto no estado de São Paulo. A motorista e um passageiro foram detidos e encaminhados à Polícia Civil em Miranda (MS).

No fim da noite de terça-feira (11), os policiais abordaram um Jeep/Compass, com placas falsas de Maceió (AL). O Jeep também não possuía emplacamento verdadeiro e estava registrado em boletim de furto, em Maringá (PR). O condutor, de 38 anos, disse que aceitou levar o veículo de São Paulo até Corumbá pela quantia de mil reais. Ele foi preso.

Já na madrugada desta quarta-feira (12), a equipe abordou um Jeep/Renegade, pertencente a uma locadora de veículos. O motorista, de 24 anos, confessou ter sido contratado pela levar o automóvel de Guarulhos (SP) a Corumbá (MS). Pelo transporte, disse que receberia R$ 1,500,00. A empresa proprietária do Jeep registrou um boletim de ocorrência e o envolvido foi preso.

Cerca de uma hora depois, os policiais rodoviários federais abordaram outro Jeep/Renegade, também de propriedade de uma locadora de veículos. O motorista, de 30 anos, confessou que deveria deixar o carro em Corumbá (MS). Em consulta aos sistemas, a equipe também descobriu que o envolvido já havia sido preso pela PRF em abril de 2019, quando viajava com um carro locado com o prazo de devolução vencida. Sobre o Jeep/Renegade, a empresa proprietária registrou um boletim de ocorrência e o condutor foi preso. 

O último veículo recuperado foi um VW/Polo, que recebeu ordem de parada dos policiais, porém o motorista iniciou fuga. Durante o acompanhamento tático o suspeito perdeu o controle da direção, saiu da pista e capotou. O condutor, de 18 anos, foi socorrido, encaminhado para o hospital. Após ser liberado pelos médicos, o homem foi preso. Ele declarou ter recebido o VW/Polo em Campo Grande (MS) e o deixaria em Corumbá (MS).

 
  
  
  



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE