Exportações de milho atingem 6,3 mi tons no mês

Ao mesmo tempo, Paraná colheu 26% da safra

| AGROLINK/


Os embarques de milho no mês de julho passaram de 348,13 mil toneladas em 2019 para 6,32 milhões de toneladas em julho de 2020, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (SECEX), divulgados na segunda-feira e compilados pela XP Agro. As informações foram divulgadas pela T&F Consultoria Agroeconômica. 

 
“Como nos disse um corretor de grãos argentino nesta terça-feira, ‘o milho está pegando fogo no Brasil’. Efetivamente, graças aos bons níveis da cotação da moeda americana, mais a boa produção desta safra nos estados do Centro-Oeste (houve quebra e atrasos nos estados do Sul) e a boa demanda internacional, o milho brasileiro está ocupando espaços e garantindo boas margens de lucratividade para os agricultores desta região do país. Já os agricultores do Sul estão exportando milho transformado em carne de suínos, frangos e bovinos”, comenta a consultoria. 

 
No Brasil, mais especificamente no Paraná, o estado já colheu 26% da safra, contra 73% do ano passado. “Os percentuais apresentados pelo relatório semanal de acompanhamento das culturas do  Deral-PR (Departamento de Economia Rural do estado do Paraná) mostram o atraso na colheita deste cereal nesta safra: apenas 26%, contra 73% na  mesma semana do ano passado, com algum prejuízo para quem tinha feito contratos antecipados. As fases da cultura são 18% em frutificação e 82% em maturação”, completa.  

 
“Já os milhos importados do Paraguai chegariam ao Oeste do Paraná ao redor de R$ 53,55 (52,01); ao Oeste de Santa Catarina ao redor de R$ 61,00 (56,36) e ao Extremo Oeste de SC ao redor de R$ 62,55/saca (57,91)”, conclui. 



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE