Frango abatido encerra 1º quadrimestre do ano de forma melancólica

| AGRONEWS


A irrupção da Covid-19 jogou por terra essa e qualquer outra boa expectativa. É verdade que o primeiro susto do ano veio logo em janeiro, antes que fosse declarada a pandemia. Pois, na ocasião, os preços alcançados no último dia do mês foram quase 25 menores que os obtidos no primeiro dia de negócios do ano. Mas isso é típico desse momento de, praticamente, todos os exercícios. Tanto que logo o setor se recuperou, permitindo que os preços do primeiro bimestre superassem em cerca de 8,5% os valores de um ano antes.

Isso, porém, começou a cessar em março. E se acentuou em abril corrente, mês em que o valor médio registrado caiu mais de 15% em relação ao mês anterior e aproximadamente 19% em relação a abril de 2019. O resultado final é o menor preço nominal dos últimos 20 meses e o retrocesso a valores registrados pela última vez em meados de 2018.

Siga-nos no facebook e instagram

Por outro lado, graças ao alto valor (inercial) de abertura do ano, os resultados do primeiro quadrimestre de 2020 praticamente empatam com os do mesmo período de 2019 (a diferença a menos, neste ano, não chega a 1%). Mas esse diminuto índice de retração ficará, obviamente, restrito a este quadrimestre, visto ser inviável – pelo menos no curto prazo – contar com uma retomada de mercado que alcance os níveis registrados em boa parte do primeiro semestre do ano passado.

A reversão, infelizmente, só virá no médio prazo. Porque (já “vimos esse filme' infinitas vezes) ocorrerá forte retração na produção – determinada, muito mais, pela impossibilidade de cobrir os custos do que, propriamente, pelos desdobramentos da pandemia. E, neste caso, os preços de meados de 2019 podem até ser superados.

AGRONEWS BRASIL – Informação para quem produz

Leia também: https://agronewsbrazil.com.br/vacinacao-contra-febre-aftosa-esta-suspensa-no-rio-grande-do-sul/

Fonte: Avisite