Arara-canindé é encontrada em caixa de papelão e sem penas; polícia de MS suspeita de criação em cativeiro

A ave estava aparentemente bem de saúde e será encaminhada ao Centro de Reabilitação de Animais Silvestres, em Campo Grande.

| G1 / G1 MS


Uma arara-canindé foi encontrada abandonada em uma caixa de papelão, em um terreno baldio, no município de Nioaque, no último domingo (19). Segundo a Polícia Militar Ambiental (PMA), a ave estava sem penas e a suspeita é de estresse por criação em cativeiro.

Os policiais resgataram a arara após denúncias de moradores que passaram pelo terreno e viram o animal na caixa. Os militares verificaram que a ave estava bem alimentada e sem as penas.

Conforme a PMA, a suspeita é de que a arara tenha sido abandonada por alguém, pois o animal é muito barulhento e é comum vizinhos denunciarem, ou por conta da perda das penas.

Ainda segundo a PMA, normalmente a perda de pena acontece em estresse de cativeiro, quando o próprio animal arranca as arranca até onde o bico alcança.

Pode haver perda de pena ainda por alimentação inadequada. A ave foi resgatada e será encaminhada ao Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS), em Campo Grande.

Crime

De acordo com a PMA, criar animais silvestres ilegalmente responde pelo crime de tráfico de animais. A pena é de seis meses a um ano de prisão, ou um ano e meio, caso o animal se encontre na lista de espécies em extinção, nacional ou internacional.

Além de prisão, a multa é de até R$ 5.000,00 por animal, como no caso da arara, que consta na lista internacional de proibição do comércio de espécies da fauna e da flora em risco ou ameaçada de extinção (CITES).



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE