Atlas da Violência: MS tem três cidades entre os 200 municípios do país com as maiores taxas de homicídio

Dourados, Campo Grande e Três Lagoas ocupam, respectivamente, as 119ª, 178ª e 197ª posições entre as cidades com maior número de homicídios por 100 mil habitantes. O estudo foi divulgado e analisado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP).

| G1 / G1 MS


Atlas da Violência 2024 foi divulgado nesta terça-feira (18) — Foto: TV Globo/Reprodução

Mato Grosso do Sul tem três cidades na lista dos 319 municípios mais violentos do país com população acima de 100 mil habitantes em 2022, segundo dados do Atlas da Violência 2024, um estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) divulgado nesta terça-feira (18). Dourados , Campo Grande e Três Lagoas ocupam as 119ª, 178ª e 197ª posições, respectivamente.

O dado é calculado com base no número de assassinatos em 2022 e inclui os “homicídios ocultos'. Segundo o estudo, homicídios ocultos são mortes violentas que não foram assinaladas como homicídio pelo estado, mas que têm grande probabilidade de serem homicídios.

A segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul, Dourados, distante cerca de 256 quilômetros de Campo Grande, lidera o ranking de homicídios no estado. A cidade representa um índice de 28,4 mortes violentas por 100 mil habitantes.

A proximidade de Dourados com a fronteira seca do Paraguai e a guerra entre facções criminosas são apontadas pelo levantamento como os principais fatores para os números apresentados.

De acordo com o estudo, a capital sul-mato-grossense tem 898.100 habitantes. Em Campo Grande, o índice de violência 19,8 mortes violentas por 100 mil habitantes.

O relatório mostra que o município de Três Lagoas aparece na 197º posição do ranking, com 23 homicídios. A população da cidade é de 132.152, portanto, registrou um índice de 17,4 de mortes violentas por 100 mil habitantes.

O Atlas da Violênciaé feito com base em dados do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM) e do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), ambos do Ministério da Saúde, e diferem dos dados repassados pelas secretarias da Segurança, utilizados no Monitor da Violência e no Anuário de Segurança Pública.

O g1 acionou a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) para mais esclarecimentos sobre o levantamento, mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem.

Violência no país

O estudo coletou dados que indicam as regiões Norte e Nordeste como as mais violentas do país, com taxas de homicídio em indicadores máximos, acima de 46,9 homicídios para cada grupo de 100 mil habitantes, no Amapá, Amazonas e Roraima (Norte) e na Bahia (Nordeste).

O Atlas revela que, dos 10 municípios brasileiros com as maiores taxas de homicídios por 100 mil habitantes em 2022, sete estão na Bahia.

O Atlas mostra que 35.531 dos homicídios no Brasil foram cometidos contra pessoas negras, o que representa 76,5% do total. Assim, a taxa de homicídios de negros (29,7 por 100 mil habitantes) é maior do que a taxa de homicídios de não negros (10,8 por 100 mil). Conforme o estudo, há a morte de 2,8 pessoas negras para cada pessoa não negra assassinada no país.

Veja vídeos de Mato Grosso do Sul:



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE