Os perigos da excessiva utilização da internet - Por Thiago Gimenez

| ASSESSORIA


Thiago Gimenez, docente do curso de Análise de Sistemas da Faculdade Anhanguera de Dourados. Foto: Divulgação

A tecnologia moldou, de maneira inimaginável, nossa maneira de viver, trabalhar e nos comunicar. A integração de dispositivos eletrônicos e internet, em diversos aspectos da vida cotidiana, proporciona inúmeras facilidades. No entanto, o uso excessivo desses recursos pode trazer preocupações sérias.

Essa constante utilização pode causar superaquecimento, desgastando os componentes internos e reduzindo a vida útil do hardware. A operação contínua acelera o desgaste de partes móveis, como ventiladores e discos rígidos, podendo provocar falhas em componentes eletrônicos devido ao calor constante.

Pensando no software, o acúmulo de processos em segundo plano e a fragmentação de dados podem tornar o sistema mais lento e menos responsivo. A falta de reinicialização regular aumenta a chance de erros e falhas graves, afetando a estabilidade do sistema. A segurança também pode ser comprometida, pois o uso contínuo sem atualizações e manutenção adequadas deixa o sistema vulnerável a ataques e malware. Práticas de manutenção, como atualizações regulares e limpeza de componentes, são cruciais para evitar esses problemas.

A sobrecarga informacional é outra consequência do uso excessivo da internet. O fluxo constante de dados e informações pode sobrecarregar profissionais, dificultando a tomada de decisões precisas e rápidas. Esse excesso pode levar à fadiga mental, reduzir a eficiência e aumentar a probabilidade de erros. Ferramentas de filtragem e priorização de dados são essenciais para mitigar esses efeitos, permitindo que os analistas se concentrem nas informações mais relevantes e mantenham a produtividade em alta.

Estar conectado por longos períodos aumenta a exposição a riscos de segurança cibernética. O Phishing, um golpe que tenta obter informações sensíveis através de e-mails fraudulentos, é comum. Softwares maliciosos projetados para danificar ou obter acesso não autorizado a sistemas também são ameaças significativas. Navegar de forma descuidada e baixar arquivos de fontes duvidosas são atitudes que colocam nossos dispositivos em risco.

A privacidade é uma preocupação constante no ambiente digital. A coleta massiva de dados pessoais por empresas e a possibilidade de vazamentos de informações sensíveis representam riscos reais. Regulamentações como o GDPR (Europa) e a LGPD (Brasil) foram implementadas para proteger os dados dos usuários, mas a responsabilidade de proteger a privacidade começa com o próprio usuário.

Estabelecer limites no uso de dispositivos eletrônicos e internet é crucial para prevenir a dependência e sobrecargas. Ferramentas de gerenciamento de tempo e aplicativos de monitoramento podem ajudar a controlar e limitar o tempo gasto online. Ao incorporarmos bons hábitos e tomarmos medidas de precaução, conseguimos desfrutar ao máximo das vantagens da tecnologia.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE