Ainda que justas, reclamações do Barça contra a arbitragem são distração da temporada ruim do clube

| TRIVELA/LEO ESCUDEIRO


Desde o reinício de La Liga, o Real Madrid esteve envolvido em repetidos casos de arbitragem controversa, com a utilização do VAR beneficiando o clube da capital em lances que acabariam por decidir alguns resultados. Embora não se possa negar isso, começa a ficar feia a tentativa do Barcelona de desviar o foco para o trabalho dos árbitros em uma temporada em que claramente não fez mais que seu grande rival para merecer o título nacional.

Com ambas as equipes alternando boas e más fases, Barcelona e Real Madrid revezaram por vezes a liderança do Campeonato Espanhol. Desde a 30ª rodada, isso mudou, e os Merengues tomaram a ponta para não mais largar. Na rodada do fim de semana, a 34ª, o Real chegou a abrir sete pontos de vantagem, mas o Barça correu atrás para manter a diferença em quatro pontos.

A vitória por 4 a 1 sobre o Villarreal no Madrigal foi a mais convincente dos Blaugranas desde o reinício de La Liga, mas ainda assim os principais comentários por parte de figuras do clube se resumiram a insinuações de que haveria um complô da arbitragem para ajudar o Real Madrid.

“Sinto-me mal, porque é a melhor liga do mundo, e o VAR não está a altura e está afetando alguns resultados. Parece que ele sempre favorece uma equipe. Apesar de alguns de nossos resultados não terem sido bons, o VAR não tem sido igualitário, e há equipes que têm sido prejudicadas”, queixou-se Josep Maria Bartomeu, presidente do Barça, após o triunfo de sua equipe.

Quique Setién, bastante questionado desde que assumiu o posto de treinador do time blaugrana em janeiro de 2020, foi menos contundente, mas reforçou o coro de qualquer maneira: “Não ouvi o que ele (Bartomeu) disse. Se o presidente disse isso, o que vou falar? Eu entendo cada vez menos o VAR. Acho que temos uma ferramenta que torna o futebol mais justo, mas não parece o bastante no momento. Trata-se da interpretação que é feita dos incidentes, mesmo o vendo diversas vezes'.

Mais especificamente, os lances de que falam os representantes catalães aconteceram em quatro partidas: contra o Eibar, na primeira partida da volta de La Liga, impedimento de Benzema antes do gol de Toni Kroos. Contra o Mallorca, uma falta de Dani Carvajal no início da jogada não levada em conta. Contra a Real Sociedad, dois lances discutíveis, um de impedimento em gol da Real Sociedad e outro de um pênalti marcado em Vinícius Jr. Mais recentemente, pênalti não marcado de Sergio Ramos em Raúl García.

Por mais controversos e passíveis de críticas que tenham sido os lances, eles não podem tomar lugar de protagonismo na discussão sobre o vencedor do troféu de La Liga. A arbitragem é um problema na Espanha, e não é de hoje. A execução do VAR precisa, sim, de melhorias, mas não afeta apenas o Barcelona.

Caso o favoritismo de momento se confirme, com o Real Madrid vencendo o campeonato pela primeira vez em três anos, não tem como questionar o merecimento do clube da capital ao levarmos em conta ambas as campanhas. Tendo como referência o futebol apresentado ao longo de 2019/20, não terá sido a arbitragem a razão para a vantagem dos Merengues.

O Barcelona teve inúmeras oportunidades de se distanciar na liderança e reforçar sua candidatura ao tricampeonato consecutivo. Não o fez por incompetência técnica, tática e, até certo ponto, administrativa, de um clube mergulhado em crises ao longo de toda a campanha.

O esforço de moldar a narrativa do campeonato é dos mais manjados que temos no futebol, e Bartomeu parece apostar nele em um momento em que lhe faltam vias para onde correr. Altamente criticado por torcida e crônica, o presidente joga suas fichas na tentativa de mudar a história principal do Barcelona na temporada. De certa maneira, parece começar a ter sucesso, mas será que isso se sustenta?



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE