Lazio sofre uma derrota dolorosa para o Milan e vê o sonho do Scudetto mais distante

| TRIVELA/LEANDRO STEIN


A Lazio liderou a pressão para que a Serie A fosse retomada o quanto antes durante a pandemia. Era de total interesse aos biancocelesti a continuidade do campeonato, com sua maior chance de conquistar o Scudetto em duas décadas. Os três meses de paralisação, contudo, afetaram o rendimento da equipe de Simone Inzaghi. Sem o mesmo embalo, os laziali permitiram que a Juventus tomasse distância na liderança e precisariam da vitória sobre o Milan no Estádio Olímpico neste sábado. Ao final, o resultado simboliza a queda do time neste momento: triunfo por 3 a 0 dos rossoneri, o que torna ainda mais difícil uma reviravolta no topo da tabela.

A Lazio sabia o tamanho do problema antes mesmo do jogo. Ciro Immobile e Felipe Caicedo estavam suspensos, o que tirava muito do vigor ofensivo dos biancocelesti. O começo da partida seria bastante travado, com as duas defesas prevalecendo. As chances de gol só começaram a pintar por volta dos 20. O time da casa assustou primeiro em cruzamento que ninguém completou. O Milan, por sua vez, balançaria as redes aos 23. Hakan Çalhanoglu recebeu na entrada da área, fez o giro sobre a marcação e arriscou o chute. Deu sorte, ao ver sua bola desviar na marcação e encobrir o goleiro Thomas Strakosha.

Não era necessariamente uma grande partida do Milan, mas, quando os rossoneri chegaram ao ataque, marcaram. De volta ao time após se recuperar de lesão, Zlatan Ibrahimovic balançou as redes aos 31, mas estava impedido. Logo na sequência valeria o tento do sueco, depois que o árbitro marcou um pênalti, em bola que bateu no braço de Stefan Radu. Ibra cobrou rasteiro, à sua esquerda. Strakosha tocou na bola, que bateu na sua mão e no seu corpo antes de entrar. A infelicidade da Lazio se materializava. E depois que os milanistas desperdiçaram um bom contra-ataque, seguraram bem na defesa a tentativa de pressão dos laziali antes do intervalo.

A Lazio voltou ao segundo tempo precisando do gol, com Joaquín Correa testando Gianluigi Donnarumma e um tento anulado de Manuel Lazzari por impedimento. Só que o Milan também estava disposto a matar logo o jogo e criava suas chances. Conseguiu balançar as redes antes dos adversários, definindo o placar aos 14. Giacomo Bonaventura preparou a jogada e serviu de garçom a Ante Rebic, que substituíra Ibra na volta do intervalo. Totalmente livre dentro da área, o croata não perdoou.

Como se não bastasse, Sergej Milinkovic-Savic pediu sua substituição. A Lazio já não tinha forças para reagir e quase viu Theo Hernández decretar uma goleada inapelável. O lateral primeiro parou em grande defesa de Strakosha, antes de sair de frente para o crime e bater ao lado da trave. Somente nos últimos instantes é que os biancocelesti arriscaram algo, mas nada suficiente para reduzir o estrago.

Faltando oito rodadas para o final da Serie A, a Juventus abre sete pontos de vantagem sobre a Lazio, 75 a 68. Não é uma situação impossível de se reverter, mas se torna inimaginável no atual cenário. Os juventinos acumulam sete vitórias consecutivas na liga e vêm de boas atuações ofensivas. Enquanto isso, os laziali se mostram mais frágeis na defesa e nem sempre seu ataque consegue compensar. Já o Milan atravessa uma boa sequência, apesar do empate recente com a SPAL. São 10 pontos em 12 possíveis, que alavancam os rossoneri ao sexto lugar. Com 46 pontos, o objetivo é terminar na zona de classificação à Liga Europa, e já sustentam uma pequena vantagem neste sentido.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE