Apreensão, silêncio e vaias: como se comportou a torcida no Maracanã na derrota do Brasil para a Argentina

| GAZETA ESPORTIVA


A Seleção Brasileira decepcionou os quase 70 mil torcedores que estiveram no Maracanã nesta terça-feira, na derrota de 1 a 0 para a Argentina, pela sexta rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2026. Os fãs até chegaram animados no estádio, mas logo murcharam.

Antes mesmo da bola rolar o clima já era de muita apreensão. Isso porque torcedores brasileiros e argentinos entraram em conflito em um dos setores do Maracanã. Houve troca de agressões e objetivos foram arremessados. Os jogadores da Argentina tentaram acalmar a situação e chegaram a deixar o gramado, mas voltaram após a Polícia conseguir apaziguar a situação.

Com o clássico iniciado, a tensão nas arquibancadas era evidente. Pouco se ouvia a torcida brasileira, que estava em ampla maioria, cantar. O Movimento Verde e Amarelo, organizada do Brasil, tentou entoar alguns cânticos, mas não obteve muito êxito, a não ser aos 10 minutos do segundo tempo, quando o time ficou perto de balançar as redes.

Fora isso, podia-se ouvir, apenas, suspiros. Foram muitas reações às jogadas, como gritos de lamentação após passes errados ou faltas marcadas contra a Seleção. Os dribles arrancavam aplausos, assim como jogadas de perigo, que eram seguidas por um sonoro “uh'.

Já a partir dos 19 minutos do segundo tempo, quando a Argentina abriu o placar, a apreensão tomou conta de vez. Alguns ainda tentavam empurrar o elenco brasileiro para cima em busca do empate, mas nada foi suficiente. Assim, o que passou a se ouvir foram vaias e xingamentos.

Com 42 minutos da etapa final, gritos de 'time sem vergonha' ecoaram no Maracanã. Fernando Diniz também foi xingado por parte do estádio. Na sequência, alguns cantaram 'olé' para a troca de passes da Argentina.

No fim, quem fez a festa no estádio mais famoso do Brasil foram os argentinos, que festejaram juntos com os jogadores mais uma vitória no Maracanã. Enquanto isso, os locais foram para casa cabisbaixos e com sentimento de vergonha por mais um vexame,