Brasil 0 x 1 Argentina – E a vergonha correu solta…

O Futebol Interior esteve in loco e trouxe as principais informações do clássico mundial

| FUTEBOL INTERIOR


Argentina derrota o Brasil no Maracanã

“Time sem vergonha”, vaias e “gritos de olé” foi assim que a seleção brasileira se despediu do seu melancólico ano de 2023. O papelão no Maracanã, o “templo do futebol” foi do início ao fim. Começou com uma briga entre torcedores de ambas as seleções, com o uso de força da polícia, que prendeu oito pessoas, uma, inclusive, ensanguentada. O reflexo esteve direto dentro de campo, uma equipe apática, desinteressada e perdida, contra uma Argentina falta. Com gol de Otamendi, os hermanos fizeram a festa no Brasil com uma vitória por 1 a 0.

Se tudo isso não bastasse, o Brasil conheceu a sua terceira derrota consecutiva nas Eliminatórias, o que nunca havia acontecido na história e foi obrigado a assistir o seu maior rival fazer a festa no Maracanã.

A Argentina vive uma lua de mel com sua torcida. Além de ser campeã mundial, derrotou o Brasil fora de casa e lidera as Eliminatórias com sobra, com 15 pontos. Ou seja, cinco vitórias em seis partidas, bem diferente da equipe de Fernando Diniz, que tem apenas sete pontos e já corre risco de ficar fora da zona de classificação para a Copa do Mundo.

Querendo ou não, acaba fazendo jus à postura na busca por um técnico. Suplicou por Fernando Diniz e está suplicando dentro de campo para reencontrar o bom futebol.

JOGO PEGADO!

Fernando Diniz prometeu e mandou a campo uma equipe com Carlos Augusto na esquerda e Gabriel Jesus como homem de referência. A marcação funcionou melhor do que na derrota para a Colômbia por 2 a 1, mas a formação ainda não agradou.

A seleção não fez uma partida de estufar o peito. Rodrygo esteve abaixo do que já mostrou como um “camisa 10”, enquanto Raphinha também não empolgou. O melhor momento do camisa 11 foi em uma cobrança de falta, que tirou tinta da trave de Emiliano Martínez.

O brilho da seleção ficou novamente com Gabriel Martinelli. O atacante buscou o jogo e criou as melhores oportunidades. Gabriel Jesus deu indícios de que poderia decidir contra a Argentina, mas, mesmo tentando jogadas de muita habilidade, foi caindo de produção conforme o tempo foi passando.

Apesar de esboçar bons e maus momentos, Emerson Royal apareceu bem no ataque e criou duas grandes oportunidades de gol. Faltou alguém concluir ou até mesmo ele colocar o pé no calibrador.

DEU ARGENTINA!

Após um primeiro tempo muito truncado e com faltas ríspidas, o segundo começou com um importante desfalque para a seleção brasileira. Com uma lesão na coxa, Marquinhos precisou deixar o campo. Nino foi o seu substituto.

A seleção brasileira era levemente superior, mas se esqueceu que a Argentina pode ser falta. Aos 17 minutos, após cobrança de falta de Lo Celso, Otamendi subiu sozinho para cabecear no ângulo de Alisson. A torcida caiu em coro contra Fernando Diniz, em baixa no comando do Brasil.

Para tentar uma resposta imediata, Fernando Diniz fez logo todas as suas mudanças e colocou a dupla do Palmeiras, formada por Endrick e Raphael Veiga, em campo. Já Lionel Scaloni tirou Messi, e um misto de aplausos e vaias foram ouvidos do Maracanã por parte dos torcedores brasileiros.

A seleção brasileira foi para cima, mas a situação ficou ainda mais complicada aos 36 minutos, quando Joelinton deixou o cotovelo em De Paul e acabou expulso. O volante brasileiro havia acabado de entrar e dava mostras de que poderia mostrar o seu valor ao técnico Fernando Diniz.

Se estava difícil no 11 contra 11, com um jogador a menos o Brasil não teve chance. A Argentina não estava preocupada. Apenas controlou a vantagem para fazer literalmente a festa no Maracanã.

PRÓXIMOS JOGOS

Brasil pega o Equador em casa na próxima rodada, que acontecerá apenas em setembro de 2024. Já a Argentina recebe o Chile.