Após polêmica em 2022, Equador vence o Chile e segue no G6

Assim como nos tribunais, os equatorianos levaram a melhor em campo, vencendo os chilenos por 1 a 0.

| FUTEBOL INTERIOR


Equador segue na zona de classificação para a Copa de 2026 (Foto: Divulgação)

Depois da polêmica envolvendo a vaga para a Copa do Mundo de 2022, Equador e Chile voltaram a se encontrar nesta terça-feira, pela sexta rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2026. No estádio de Casa Blanca, em Quito, assim como nos tribunais, os equatorianos levaram a melhor em campo, vencendo os chilenos por 1 a 0.

Na Copa do Mundo de 2022, no Catar,  o Chile foi até as últimas instâncias para tentar tirar a vaga do Equador, acusando que a escalação do lateral direito Byron Castillo era irregular, pois o jogador é colombiano. Após as investigações, a FIFA arquivou o processo e os equatorianos jogaram o último mundial, acirrando a rivalidade entre as seleções.

Apesar de atuar na última Copa, o Equador cumpriu punição pela a escalação de Byron Castillo, e iniciou as eliminatórias com saldo negativo de três pontos. Após seis jogos, a seleção já soma oito pontos e aparece em quarto lugar. O Chile é o oitavo, com cinco pontos, fora da zona de classificação. 

Com o clima de tensão no ar, o Equador partiu para cima do Chile. Mais agudo, a seleção anfitriã arriscava mais e obrigava o goleiro Cortés a trabalhar. De tanto arriscar, o Equador abriu o placar com 20 minutos de bola rolando. Kendry Páez arriscou de longe, o goleiro deu rebote e Ángel Mena empurrou para as redes.

Com a vantagem, o Equador baixou as linhas e chamou o Chile para o seu campo. Os visitantes tinham mais a posse de bola, mas o domínio seguiu sendo dos donos da casa, que seguiam sendo mais perigosos nos contra-ataques. O equilíbrio tomou conta do duelo, que não teve mais o placar alterado na primeira etapa. 

Na segunda etapa, o Chile voltou mais ofensivo. Com mais posse de bola no campo de ataque, os visitantes arriscaram mais, mas sofreram com o pé descalibrado, e quase não forçaram nenhuma defesa do goleiro equatoriano. Tensos, o jogo começou a ficar faltoso, mas logo foi controlado pelo árbitro brasileiro Anderson Daronco. 

Com o passar do tempo, o Equador voltou a controlar o jogo. Kevin Rodríguez teve a chance de ampliar e Cortés fez grande defesa. Na reta final, Díaz por pouco não empatou, parando no travessão. Apesar da pressão no fim, o Chile viu o Equador se fechar na defesa e administrar o resultado até o apito final.  

Agora as Eliminatórias só voltam a ser disputadas em 2024. O próximo adversário do Equador será o Brasil, com mando brasileiro, enquanto o Chile encara a Argentina, em solo argentino.