Uruguai faz 3 a 0 na Bolívia e assume a ponta

O uruguaio Darwin Núnez é o artilheiro das Eliminatórias com cinco gols. Na Bolívia, Marcelo Moreno se despediu da seleção aos 36 anos

| FUTEBOL INTERIOR


Darwin Núnez marcou dois gols. Foto: Reprodução

Depois de desbancar a Argentina, campeã do mundo, o Uruguai chegou à sua quarta vitória nas Eliminatórias Sul-Americanas ao bater por 3 a 0 a Bolívia, nesta terça-feira, no Estádio Centenário, pela sexta rodada. Com isso – antes de Brasil x Argentina – assumiu a liderança provisória, com 13 pontos. A seleção boliviana, dirigida pelo brasileiro Antônio Carlos Zago, segue com apenas três pontos, em penúltimo lugar. O domínio no primeiro tempo foi total dos uruguaios, com 68% de posse de bola. As chances saíram uma atrás da outra. O primeiro gol saiu aos 14 minutos, numa avançada pelo lado direito e o cruzamento para trás pegou Darwin Núnez de frente. Ele bateu de chapa para as redes.

GOL BIZARRO

O segundo gol foi bizarro. Após uma cobrança de escanteio pelo lado esquerdo, o goleiro Viscarra tentou aliviar a bola com um soco, porém, a bola tocou no corpo de Villamíl e entrou. Gol contra, aos 34 minutos: 2 a 0. Até o árbitro Kevin Ortega gerou dúvidas na validade do gol, porque ele não apontou o centro de campo. Pelo contrário, tentou levantar o braço em direção ao lance, tentando explicar que não houve nenhuma falta na jogada. Mas ninguém entendeu sua sinalização. Os uruguaios, meio sem graça, se abraçaram e foram para o centro de campo.

CELESTE TIROU O PÉ

No segundo tempo, o Uruguai visivelmente se poupou. Valorizou a posse de bola, na espera de alguma falha para tentar ampliar o placar diante de um adversário sem qualquer interesse de atacar. Uma triste despedida da seleção de Marcelo Moreno, de 36 anos, ex-Cruzeiro, Flamengo e Grêmio, que tinha anunciado a sua aposentadoria da seleção. Mesmo sem forçar, o Uruguai fez o terceiro gol aos 25 minutos. Após cruzamento do lado direito, Olivera ajeitou de cabeça para Darwin Núnez, também de cabeça, completar para as redes.

ARTILHEIRO E DESPEDIDA

Núnez é o artilheiro das Eliminatórias, com cinco gols, e deixou o campo para a entrada do ídolo Luis Suárez, maior artilheiro do selecionado celeste, com 68 gols. Muitos aplausos para ele. O meia Arrascaeta, do Flamengo, também entrou no lugar de De La Cruz. Aos 40 minutos, Moreno foi substituído, tirou a faixa de capitão, recebeu aplausos dos companheiros e até de adversários. Saiu emocionando, chorando, aplaudiu a torcida e deixou sua vaga para Reinoso. O experiente Moreno é o maior artilheiro da Bolívia, com 31 gols em 110 jogos. No momento ele defende o Independiente del Valle, do Equador.