Galvão detona seleção brasileira após 'derrota histórica' e diz que Brasil não tem time: 'Talvez seja o pior que vi jogar'


O Brasil foi derrotado pela Colômbia, de virada, por 2 a 1, na última quinta-feira (16), e amargou mais uma derrota nas eliminatórias para a Copa do Mundo. E o revés fez Galvão Bueno detonar o time, ou melhor, o não-time, segundo ele.

Em seu canal no YouTube, o icônico narrador e apresentador colocou a derrota para o rival sul-americano como 'histórica' e detonou o sistema implementado por Fernando Diniz, colocando como um dos fatores que levaram ao resultado negativo.

“É muito triste ver a seleção brasileira jogando dessa forma. Pois é, para falar de mais uma derrota da seleção brasileira. Não é só mais uma derrota, é histórica essa derrota, assim como foi contra o Uruguai, assim como foi o empate em casa contra a Venezuela, porque nunca na história das eliminatórias a Seleção Brasileira perdeu duas partidas seguidas, isso nunca tinha acontecido, nunca a Colômbia tinha vencido a seleção brasileira em jogos de eliminatória. Então tudo vai acontecendo, é um bolo, uma soma de coisas que vem de erros que vem de absurdos, que vem de tomadas de posições erradas', começou por disparar.

“Então não adianta colocar quatro atacantes, não adianta ‘ah não vamos jogar com Vinicius, vamos jogar com Rodrygo, vamos jogar com Gabriel Martinelli, vamos jogar com Raphinha, vamos embora para cima deles, vamos subir com os homens do meio-campo, subir com os laterais, todo mundo para cima’. Durou cinco minutos. A seleção brasileira conseguiu jogar melhor do que a Colômbia cinco minutos. Uma primeira jogada um toque de calcanhar muito bom do Raphinha, um cruzamento que o Vinicius Jr. teve a chance de fazer de cabeça, mas jogou por cima, e depois uma ótima jogada daquilo que o Diniz imaginava que pudesse acontecer sim ofensivamente, poderia acontecer a jogada do Vinicius com o Martinelli, o toque, a finalização, 1 a 0 Brasil com quatro minutos de jogo. Acabou. Porque seria possível fazer algumas jogadas ofensivas, mas para isso precisaria ter mais domínio no meio-campo. Não dá para jogar com dois volantes. Não dá para jogar com André, com Bruno Guimarães contra cinco jogadores da Colômbia, contra jogadores de nível, contra a velocidade com que a Colômbia sobe pelas laterais do campo, as oportunidades que teve 2 a 1 foi pouco', completou.

Em seguida, Galvão Bueno não mediu palavras para afirmar que talvez seja a pior seleção brasileira que ele já tenha visto jogar.

“Olha, depois da derrota contra o Uruguai eu disse: ‘não temos time’. Volto a repetir: não temos time. Depois da derrota contra Uruguai eu disse: ‘talvez tenha sido a pior seleção brasileira que eu vi jogar’. Eu tenho mais de 40 anos acompanhando a seleção brasileira, foram 40 anos narrando a seleção brasileira em todos os jogos. Eu dizia, depois do jogo contra o Uruguai, talvez seja o pior time brasileiro que eu vi jogar. Volto a repetir: não temos time, jogamos mal demais, a seleção foi dominada o tempo inteiro pela Colômbia.'

“Olha, o Alisson fez uma belíssima partida, andou pegando bolas importantíssimas ali e os dois gols de cabeça ele não podia fazer nada. Mas a Colômbia sobrou, a Colômbia, foi melhor na defesa, Colômbia foi melhor no meio-campo, no desarme, na marcação, na agressividade, na criação, no ataque na velocidade. Olha, se não me engano, foram 26 finalizações da Colômbia contra 10 ou 12 da seleção brasileira. Isso não é o futebol brasileiro, gente. Não dá, porque o Diniz faz o Fluminense jogar, levou o Fluminense à conquista da CONMEBOL Libertadores, uma final histórica contra o Boca, ótimo, muito bom, mas ele tem quase dois anos de trabalho no Fluminense, não dá para esse futebol autoral, para esse futebol de você juntar jogadores de uma lateral do campo, fazer inversões, jogar com quatro atacantes, deixar um espaço ali, querer que esses jogadores, acostumados a criarem jogadas de ataque, venham buscar a marcação. O Brasil deixava o espaço todo para Colômbia jogar porque ele tem quase dois anos de Fluminense para fazer o Fluminense jogar daquela forma', completou.

Em campo, o Brasil abriu o placar com Gabriel Martinelli após bela jogada com Vinicius Jr.. No entanto, Luis Diaz brilhou com dois gols e decretou a vitória colombiana.

Com o resultado, a seleção brasileira acabou parado na 5ª colocação, com sete pontos. Por outro lado, a Colômbia é 3ª, com nove. A Argentina, próxima adversária do Brasil, na próxima terça-feira (21), no Maracanã, lidera com 12 pontos.

Próximos jogos da seleção brasileira

Argentina (C): 21/11, 21h30 (de Brasília) - eliminatórias para a Copa do Mundo

Inglaterra (F): 23/3, a confirmar - amistoso

Espanha (F): a confirmar - amistoso