Eliminatórias: Diniz muda Seleção para encarar a Colômbia

A Colômbia é um adversário difícil, especialmente quando joga em sua casa. O jogo começa às 21 horas, em Barranquilla, estádio Metropolitano. 

| FUTEBOL INTERIOR


Diniz com coragem para mduar a Seleção. Foto: CBF - Oficial - Joilson Marconne

Por SERGIO CARVALHO

Fernando Diniz, técnico da Seleção Brasileira, fez uma análise dos quatro primeiros jogos da Seleção Brasileira nas Eliminatórias Sul-Americanas da Copa de 2026, e resolveu mudar parte de sua equipe, no jogo desta quinta, em Barranquilla, contra a boa Seleção da Colômbia. Ele trocou o goleiro,  os dois laterais, o primeiro volante e o ponta esquerda. Para que você entenda melhor. O goleiro Ederson se contundiu e Alisson vai ocupar o seu lugar. Nas laterais estarão Emerson Royal pela direita e Renan Lodi pela esquerda. Na cabeça de área, onde Casemiro parecia intocável, entra o excelente André, que pertence ao Fluminense. E na frente, Vinicius Junior vem mais para o meio e Gabriel Martinelli joga pela esquerda (ambos podem trocar de posição durante o jogo).

CAMPANHA DO BRASIL É RUIM

Lembro que a campanha brasileira nesta competição está longe de ser a ideal. O Brasil está em terceiro lugar, ao contrário de outras Eliminatórias onde sempre estava em primeiro sozinho ou acompanhado. Diniz parece que percebeu que não dava mais para  continuar apostando na “fórmula” Tite, e resolveu incrementar um pouco mais seu time com jogadores de qualidade e que atravessam ótima fase neste momento. Gostei de sua atitude.  Por isso, vou até apostar num Brasil mais eficiente e qualificado na partida desta quinta contra a Colômbia, que é sim um adversário difícil, especialmente quando joga em sua casa. O jogo começa às 21 horas, em Barranquilla, estádio Metropolitano. 

A provável escalação brasileira é a seguinte. Alisson; Emerson Royal, Marquinhos, Gabriel Magalhães e Renan Lodi; André e Bruno Guimarães; Raphinha, Rodrygo, Vinicius Júnior e Gabriel Martinelli. A classificação no momento é a seguinte: CLIQUE AQUI!

BOAS MUDANÇAS DE DINIZ

A troca do goleiro não vai mudar nada. Allison e Ederson têm a mesma qualidade. Na linha defensiva, só não gosto de Gabriel Magalhães, que não foi bem nos seus jogos pela seleção até agora. Mas respeito a opinião de Diniz, que o escalou ao lado de Marquinhos para começar a partida.

Muito boa a presença de André no lugar de Casemiro, que havia caído mesmo de produção. Na frente, sou contra a presença de Raphinha. Jogador apenas regular que não tem se exibido bem com a camisa da seleção. Martinelli, que entra pela esquerda, está em ótima fase. É muito bom jogador. A TV Globo e o SporTV vão transmitir o jogo ao vivo. Esta será a quinta rodada das Eliminatórias.

A tabela marca para esta quinta, mais quatro jogos além de Colômbia x Brasil. Às 17 horas, a Bolívia recebe o Peru em La Paz. Jogo entre os dois piores times das eliminatórias. Tudo pode acontecer. Às 19 horas, Venezuela x Equador. Time da casa evoluiu bastante e pode complicar a seleção equatoriana. Mas, a princípio, acredito numa vitória do Equador. Às 21 horas, Colômbia x Brasil, em Barranquilla. Ainda às 21, Argentina x Uruguai, um clássico sul-americano. Como os argentinos jogam em casa e não perderam nem empataram nenhum jogo até agora, aposto numa vitória do time de Messi. Mesmo que por contagem mínima. Às 21h30, em Santiago, Chile x Paraguai. Jogo equilibrado. Vantagem chilena é jogar em casa, mas o Paraguai pode surpreender.

JOGÃO COM A ARGENTINA

Terminado o jogo diante da Colômbia, a delegação brasileira volta para o Brasil. Na terça-feira que vem, às 21h30, o time de Fernando Diniz encara a Argentina, o jogo mais importante das Eliminatórias Sul-Americanas. A partida será disputada no Maracanã, que certamente terá lotação completa. Será o grande teste de Diniz como técnico da Seleção Brasileira. Se vencer essa partida, terá moral para continuar no comando da seleção e, até, de dirigi-la na próxima Copa. Mas se não for bem contra a Colômbia, e ainda perder em casa para os argentinos, Diniz pode começar a se preparar para deixar o cargo. Não tenho nenhuma dúvida quanto a isso.