'Bola de Ouro' terá mudança importantíssima a partir de 2024 e aumentará 'rivalidade' com 'The Best' da Fifa


A Uefa (União das Federações Europeias de Futebol) anunciou nesta sexta-feira (3) que passará a organizar a premiação da 'Bola de Ouro' a partir de 2024.

A decisão acontece através de uma parceria com o grupo empresarial francês Amaury, proprietário da revista France Football, responsável pelo troféu, e do jornal L'Équipe.

O evento esteve associado à Fifa na última década. A entidade máxima do futebol mundial, que entrega o 'The Best' atualmente, se juntou ao veículo francês entre os anos de 2010 a 2015. Neste período, apenas Lionel Messi e Cristiano Ronaldo venceram o prêmio.

Em comunicado publicado no site oficial da instituição, a Uefa afirma que o novo acordo pretende 'aumentar a estatura e o alcance global dos prêmios ao mesmo tempo que promove um senso de unidade e colaboração dentro da comunidade do futebol'.

Dessa forma, o grupo Amaury continua a ser o proprietário da marca 'Bola de Ouro' e seguirá organizando o sistema de votação, que permanecerá inalterado e independente.

A Uefa, portanto, contribuirá com a sua 'experiência futebolística, comercializará os direitos comerciais globais e organizará a gala anual de prémios'.

Nos bastidores, a expectativa é que a mudança aumente ainda mais a 'rivalidade' entre a 'Bola de Ouro' e o 'The Best', já que Fifa e Uefa vêm trocando farpas nos bastidores nos últimos anos, principalmente depois que a entidade máxima do futebol resolveu criar seu 'Supermundial' de Clubes, que acabou rivalizando com a Champions League.

Novos prêmios

Além disso, dois novos prêmios serão acrescentados à cerimônia: o(a) de melhor treinador(a) do ano, no masculino e feminino.

Os demais sete troféus do evento seguirão mantidos: 'Bola de Ouro' masculino e feminino, Troféu Kopa (melhor jogador com menos de 21 anos), Troféu Yashin (melhor goleiro), Troféu Gerd Müller (artilheiro da temporada), Melhor clube masculino e feminino e Prêmio Sócrates (trabalho humanitário).

'Por quase 70 anos, a Bola de Ouro tem sido o prêmio individual de maior prestígio no mundo do futebol e é uma prova da extraordinária habilidade, dedicação e impacto das lendas do esporte e de sua marca duradoura na história do esporte. As competições de clubes e seleções nacionais da Uefa, como a Liga dos Campeões e a Eurocopa, são consideradas os palcos globais mais elevados para jogadores de elite, desempenhando muitas vezes um papel fundamental na candidatura dos jogadores a grandes honras e no seu lugar no panteão do futebol. A Uefa e a Bola de Ouro são sinônimos de excelência desportiva, por isso a nossa parceria será uma mistura natural de destaque e uma sinergia que promete ser nada menos que excepcional', afirmou Aleksander Ceferin, presidente da Uefa.

Na última edição da premiação, realizada na segunda-feira passada (30), o argentino Lionel Messi levou sua 8ª Bola de Ouro, estabelecendo um recorde no prêmio.

Aitana Bonmatí foi eleita a melhor jogadora do mundo, enquanto Bellingham ficou com o Prêmio Kopa, Emiliano Martínez com o Prêmio Yashin, e Vinicius Jr. com o Prêmio Sócrates.

Por fim, o Barcelona foi escolhido como melhor clube feminino do mundo, e o Manchester City, o melhor masculino.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE