As estrelas internacionais que dominam a NBA e ameaçam a hegemonia dos EUA no basquete


O melhor basquete do mundo volta nesta semana com a temporada 2023-24 da NBA, com jogos a partir desta terça-feira (24) e cobertura ao vivo pela ESPN no Star+. Dos mais de 120 jogadores estrangeiros, alguns deles se destacam como All-Stars e até ocupam um lugar na elite da liga.

É inegável que o momento da NBA é dominado por não americanos. Basta ver que os cinco últimos MVPs da liga não nasceram nos Estados Unidos: Joel Embiid (2023), Nikola Jokic (2022 e 2021) e Giannis Antetokounmpo (2020 e 2019).

Conteúdo oferecido por Ford, Sadia, Vivo, Hellmann's e Nomad

Dos sete primeiros colocados na votação para MVP da última temporada, apenas dois eram do país: Jayson Tatum e Donovan Mitchell.

Enquanto os estrangeiros já possuem craques que dominam a liga antes dos 30 anos e seus sucessores, os americanos ainda não têm candidatos em nível de pegar o bastão que será passado por LeBron James, Stephen Curry, Kevin Durant e companhia. Todos eles, apesar de ainda estarem em alto nível, têm mais de 35 anos de idade. LeBron, astro do Los Angeles Lakers, fará 39 em dezembro.

Fora isso, os Estados Unidos têm sofrido nas Copas do Mundo de basquete, em que seus principais jogadores dificilmente participam por um acordo nos bastidores entre as estrelas e os clubes. Em 2023, por exemplo, o país ficou em quarto, perdendo o bronze para o Canadá. Em 2019, a eliminação foi nas quartas de final para a França.

Apesar disso, com equipes mais fortes, os EUA venceram o ouro nas últimas quatro Olimpíadas.

Veja abaixo quem são os estrangeiros que estão dominando a NBA na atualidade.

Victor Wembanyama foi a escolha número 1 do último Draft. O francês do San Antonio Spurs é tido como o maior talento draftado na NBA desde LeBron.

Sua habilidade com a bola, capacidade de enfileirar tocos e chutes de 3 são algo pioneiro para um jogador da sua estatura (2,24m) na história do basquete.

Resta saber se ele vai conseguir de fato aflorar seu talento, mas sem dúvida já é um dos candidatos para personificar o futuro da NBA.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE