Juiz suspeito de venda de sentenças depõe no dia 2 de julho em procedimento administrativo do TJ-MS

Aldo Ferreira da Silva Júnior foi denunciado pelo MP-MS por suposta venda de sentenças em processos de inventários e também por fraudes em precatórios.

| G1 / G1MS E TV MORENA


A corregedoria-geral do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJ-MS) marcou para a próxima quinta-feira (2), às 9h30, o depoimento do juiz Aldo Ferreira da Silva Júnior em procedimento administrativo disciplinar do órgão. A data foi publicada no Diário Oficial da Justiça desta segunda-feira (29).

O juiz foi denunciado pelo Ministério Público Estadual (MP-MS) por suposta venda de sentenças com valores entre R$ 100 mil e R$ 250 mil em processos de inventários para favorecer herdeiros de processos que julgou quando atuou na primeira instância. Ele também responde por denúncias de fraudes em precatórios, quando foi auxiliar no TJ-MS, entre 2012 e 2014.

O juiz está afastado das funções desde 2018 por decisão do Pleno do TJ-MS no processo administrativo disciplinar pelos crimes em que ele é investigado. A reportagem tentou contato com o Aldo e sua defesa, mas até a última atualização não conseguiu.

Em nota, o TJ-MS disse que o procedimento administrativo disciplinar está em trâmite normal e, por força de lei, segue em caráter sigiloso.

O tribunal aponta ainda que o interrogatório do juiz será o último ato de instrução do procedimento e que, depois de concluída a instrução, o conteúdo será encaminhado ao relator para a análise do que está sendo apurado e encaminhamentos.

Segundo a corregedoria, em razão da pandemia do novo coronavírus, a oitiva do juiz será feita por uma plataforma para videoconferências, o Google Meet.

Veja abaixo reportagens sobre as investigações contra o juiz:



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE