Cavani exalta classificação nos pênaltis contra o Palmeiras no Allianz: “Tem um sabor especial”

| GAZETA ESPORTIVA


O Boca Juniors eliminou o Palmeiras na disputa de pênaltis nas semifinais da Libertadores e está na grande decisão do torneio. No tempo regulamentar da partida de volta, disputado no Allianz Parque, Cavani deu a liderança cedo para os argentinos e Piquerez deixou tudo igual para levar a decisão para as penalidades máximas.

Para o uruguaio e autor do gol do Boca, a classificação na casa do adversário e pela forma como veio tem um gosto diferenciado.

'Tem um sabor especial, porque jogamos fora de casa em um campo difícil. Jogar aqui é algo muito difícil para qualquer equipe que vem jogar. Mas jogamos por momentos: Por um momento nos defendemos, por que o Palmeiras é um time muito bom, mas o Boca é o Boca e temos que competir sempre. Então estamos muito felizes, porque cumprimos um objetivo e agora demos um passo e lutaremos e trabalharemos para chegar à mil nessa partida (final)', disse.

O goleiro argentino Sergio Romero também foi um grande destaque do confronto ao defender as cobranças de Raphael Veiga e Gustavo Gómez. Cavani destacou que confia muito no veterano nestes momentos de decisão e aproveitou para exaltar também todo o elenco.

'Temos muita confiança em nosso goleiro, em toda a equipe, porque no momento em que a equipe teve que responder, respondeu, soube sofrer e as equipes grandes também sabem sofrer. E se tem que acertar, também sabe acertar, aguentar e suportar e isso foi o que fomos hoje, uma grande demonstração de caráter. Agora é recuperar as forças e focar no que precisamos para o campeonato e quando chegar o momento, estar tudo como esteve hoje para dar esse passo que nos falta', afirmou.

Já Romero destacou seus companheiros de posição após a conquista da vaga para a decisão da Libertadores e falou sobre como, para ele, a disputa por pênaltis é um 'diversão'.

'Trabalhamos muito, temos gente como Hernán Garcia, Leandro Brey (goleiros reservas), o grupo de goleiros que temos é muito importante, muito bom. Gente muito boa e isso ajuda muito na hora de competir. [...] Tenho 36 anos e estou em um momento que gosto de me divertir e, para mim, quando vamos aos pênaltis é uma diversão. Estou contente', destacou.