Internacional 1 x 2 Fluminense – Fluzão vira no fim e está na final da Libertadores

Adversário do Fluminense na decisão sairá do confronto entre Palmeiras e Boca Juniors-ARG.

| FUTEBOL INTERIOR


Germán Cano foi o craque do jogo com assistência e gol da classificação.

O Fluminense é o primeiro finalista da edição 2023 da Copa Libertadores. O time carioca venceu, nesta quarta-feira, o Internacional, por 2 a 1, de virada, em duelo disputado no Beira-Rio, em Porto Alegre. As equipes haviam empatado, por 2 a 2, no primeiro jogo, no Rio.

O Fluminense vai tentar o primeiro título sul-americano, dia 4 de novembro, no Maracanã, contra o vencedor do confronto entre Palmeiras e Boca Juniors, nesta quinta-feira, no Allianz Parque, em São Paulo.

PRESSÃO DO INTER

A exemplo do Internacional no Maracanã no primeiro jogo, o Fluminense pareceu não se incomodar com a forte pressão da torcida colorada desde o primeiro minuto de jogo.

Todas as bolas foram disputadas com grande intensidade e os passes rápidos causavam perigo constante às duas defesas bem postadas.

A primeira finalização foi tímida do Fluminense, com o artilheiro Cano. O lance acordou o Inter, que no ataque seguinte, com Wanderson, forçou Fábio a fazer boa defesa.

Mas, aos nove minutos, o experiente goleiro do Fluminense escorregou, após escanteio cobrado por Alan Patrick, que Mercado cabeceou para abrir o placar para o Inter.

O Fluminense sentiu o gol e o Inter quase fez o segundo em contra-ataque puxado por Wanderson, que Mauricio finalizou para nova defesa de Fábio.

O grande número de sinalizadores usados pela torcida do Inter causou um ‘nevoeiro’, mas as equipes permaneceram com ritmo forte. Aos 22 minutos, Alan Patrick, livre, errou chute na entrada da área.

Apesar de ficar muito tempo com a bola, o Fluminense não entrou na área do Internacional, que, após os 30 minutos, passou a se preparar para os contra-ataques.

Aos 41 minutos, o lance mais curioso do primeiro tempo. Cano foi lançado, em posição de impedimento, e finalizou na trave, mas a posição irregular si foi apontada pela arbitragem ao final da jogada, causando nervosismo no técnico Eduardo Coudet, do Inter, à beira do gramado.

MUDANÇAS PARA O SEGUNDO TEMPO

O técnico Fernando Diniz tentou aumentar a ofensividade do Fluminense no intervalo, ao colocar Martinelli e John Kennedy. Inicialmente, as mudanças deram certo e o time tricolor passou a atuar dentro do campo adversário, mas sem criar grandes oportunidades para empatar.

No contra-ataque, o Inter foi mais perigoso. Aos 22 minutos, Enner Valência escapou pelo meio e foi travado de forma sensacional dentro da área por Nino. Aos 25, Alan Patrick bateu falta pela direita e o atacante equatoriana, livre na pequena área, cabeceou para fora. Aos 32, o atacante falhou na finalização na cara de Fábio.

E o castigo pelos gols perdidos veio aos 35 minutos. Em um ataque muito rápido, Cano lançou John Kennedy, que desviou para gol na saída de Rochet: 1 a 1. No embalo, o Fluminense, repleto de atacantes virou a partida, aos 41. Yony González, pela direita, tocou para John Kennedy, que deixou para Cano definir: 2 a 1.

E tinha mais emoção. Aos 46 minutos, Luiz Adriano cabeceou para linda defesa de Fábio. Mas a reação gaúcha parou por aí.