Com trabalho de Beto, Mato Grosso do Sul garante o primeiro centro de transplante fígado e rim

| ASSESSORIA


O Governo de Mato Grosso do Sul assina nesta sexta-feira (29) convênio com o Hospital Adventista do Pênfigo para a instalação do primeiro Centro de Transplante de fígado e rim de Mato Grosso do Sul. O aporte financeiro é de R$ 1 milhão e na sua totalidade é fruto de emenda parlamentar do deputado federal Beto Pereira (PSDB-MS). O evento acontece na Central Estadual de Transplantes, em Campo Grande, a partir das 17 horas.

Para Beto Pereira, a formatação dessa parceria entre o hospital e o Estado é a concretização de um antigo desejo de sul-mato-grossenses que acabam se deslocando para outras regiões do País para a realização de seus tratamentos e transplantes. “A criação do centro é o resultado de um trabalho conjunto e de um antigo anseio dos pacientes do Estado. Com o transplante aqui, Mato Grosso do Sul fortalece suas unidades hospitalares e, principalmente, os pacientes conseguirão fazer todo o tratamento perto de sua família”, diz o parlamentar.

Segundo o médico-cirurgião do aparelho digestivo e especialista em transplante de fígado, Gustavo Alves Rapassi, hoje no Estado existem cerca de 600 pessoas entre adultos e crianças à espera de um transplante de rins ou córneas e essa iniciativa de Beto Pereira é um divisor de águas na história de Mato Grosso do Sul. “Através da emenda disponibilizada pelo Beto, a gente de fato consegue iniciar o transplante de fígado, que é uma modalidade que nunca houve na história do Estado. Hoje a nossa estimativa é que sejam transplantados 69 pacientes ao ano. E são pessoas que vão voltar a trabalhar, voltar para suas famílias, diferentes da vida que tinham antes, onde era internações e muito tempo dentro do hospital”, pontua o médico.

Conforme Rapassi, que estará à frente do projeto no Hospital do Pênfigo, com a implementação do centro abre a possibilidade para a ampliação dos transplantes, como a de pâncreas, coração, pulmão e outros órgãos. No primeiro momento, o Hospital do Pênfigo começará com o transplante de fígado e, a partir de 2024, o de rim.

Doação de órgãos e tecidos

Segundo a legislação brasileira, para ser um doador de órgãos e tecidos é preciso comunicar à família sobre o desejo. Em Mato Grosso do Sul, segundo a Secretaria de Estado e Saúde (SES), são realizados transplantes de rim e de tecido músculo-esquelético (que inclui medula óssea) apenas em Campo Grande, e de córnea é feito na Capital e em Dourados. A lista para transplantes é única e vale tanto para os pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) quanto para os da rede privada. No dia 27 de setembro foi comemorado o Dia Nacional de Doação de Órgãos e Tecidos.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE