Diniz sai satisfeito com a Seleção, mas dispara contra o VAR por 'esfriar o jogo' em vitória

Durante coletiva, Fernando Diniz diz que VAR esfriou a Seleção durante a vitória por 1 a 0 sobre o Peru, em Lima

| TRIVELA


Diniz sai satisfeito, mas em críticas ao VAR (Foto: Vitor Silva/CBF)

Fernando Diniz criticou o VAR que anulou dois gols brasileiros na vitória da Seleção por 1 a 0 sobre o Peru, nesta terça-feira (12), no Estádio Nacional, em Lima, pela segunda rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2026. Mas a critica não tem a ver com erro ou acerto da arbitragem, e sim com a pausa de oito minutos que o uso da tecnologia acarretou na partida. De acordo com o técnico, isso “esfriou” o Brasil em campo.

O que disse Diniz?

Na bronca com o VAR por esfriar o jogo

Diniz saiu de campo satisfeito com a atuação, mas na bronca com o VAR. Com o uso da tecnologia, a arbitragem anulou um gol marcado por Raphinha e depois levou mais de seis minutos para encontrar irregularidade em um gol marcado por Richarlison. Diniz até falou em tom de crítica que um lance tão ajustado deveria ser validado. Mas a sua principal cobrança foi com a demora, que esfriou o jogo e ainda não foi compensada justamente nos acréscimos.

– Isso é uma coisa recorrente no Brasil. O que mais me irrita é picotar o jogo, e o juiz ser conivente com o tempo parado. É ruim para quem paga ingresso. É difícil achar árbitro que falam “levanta, vamos levar”. O momento que parou o jogo, era nosso melhor momento. O jogo deu uma esfriada. É um lance que aquilo que a Fifa quer que aconteça. Um lance tão duvidoso deveria ser para o ataque. Quando decidiram que o gol ia ser invalidado, a atmosfera virou toda contra. A torcida estava em tom mais baixo, voltou completamente para o Peru. A arbitragem teve uma interferência que eu não gostaria que tivesse – disse o treinador.

Técnico satisfeito com a atuação

O gol da vitória saiu no apagar das luzes, com Marquinhos. O zagueiro marcou de cabeça, após cobrança de escanteio de Neymar – uma jogada treinada à exaustão ao longo da semana de trabalhos. A Seleção teve muitos erros de passe e dificuldades para entrar na área. Mesmo assim, Diniz aprovou a atuação da equipe ao longo dos 90 minutos.

– Eu fico satisfeito com o que a gente apresentou. Na soma dos dois jogos, foi muito positivo. Jogar aqui era atmosfera totalmente diferente de jogar em Belém. A equipe fez três gols e valeu um. Deve ter ficado na margem mínima do mínimo. A gente não teve tanta fluência. O gramado é muito diferente daquilo que os jogadores estão habituados. Tiveram mais erros da parte técnica do que do normal. Um pouco do campo, um pouco de jogar de maneira acelerada. Mas o saldo é positivo – analisou o técnico.

Time precisa ter mais paciência

Diniz encerra a Data Fifa com 100% de aproveitamento no comando da Seleção. Mas isso não significa que ele não tenha pontos a corrigir. Mesmo muito satisfeito com o rendimento ao longo dos 90 minutos, o treinador afirmou que era preciso ter um pouco mais de “paciência” para furar o bloqueio da seleção peruana.

– Eu acho que a gente estava acelerando muito. A gente errou boa parte dos passes por tentar verticalizar demais, porque é a característica do time. Eu não quero tirar isso. Quero potencializar. Mas às vezes, é preciso ter um pouco mais de uma paciência agressiva. Aproveitar as características de jogadores hábeis. Mas foi um time que mereceu ganhar. A gente teve muita imposição desde o começo do jogo. Foi uma vitória muito merecida – disse o técnico.

A Seleção soma seis pontos nas duas primeiras rodadas e fica confortável na liderança, com seis pontos. A Argentina é a outra seleção que tem 100% de aproveitamento. O Brasil volta a campo apenas na próxima Data Fifa, em 12 de outubro, às 21h30 (horário de Brasília), para enfrentar a Venezuela na Arena Pantanal. Depois, o adversário será o Uruguai em Montevidéu.