De promessa a líder: Lucas muda de status e vira referência para companheiros no São Paulo

| GAZETA ESPORTIVA


Lucas chegou ao São Paulo ainda como menino, aos 13 anos de idade. Tratado como uma grande promessa para o futuro, o jovem trilhou um caminho de sucesso no clube até despedir-se sete anos depois, em 2012. Agora, retorna ao Tricolor com um novo status.

Após dez temporadas na Europa, onde defendeu o Paris Saint-Germain, da França, e o Tottenham, da Inglaterra, o atleta é visto pelos companheiros como uma referência. Ele passou de jovem talento para um líder de vestiário entre essas duas passagens.

Um exemplo claro disso foi o apoio público demonstrado ao meia James Rodríguez, que perdeu um pênalti no duelo contra a LDU, pela Sul-Americana, que culminou na eliminação do time. Lucas defendeu o parceiro na zona mista e também nas redes sociais.

Durante um evento, o atacante foi questionado sobre o papel de liderança que exerce no dia a dia do São Paulo. Ele afirmou que não possuía esse perfil, mas aprendeu com outros colegas durante a carreira.

'Eu joguei com muitos jogadores durante minha carreira, sempre falei que não tenho esse perfil de líder. Mas vamos adquirindo uma certa experiência, aprendendo algumas coisas. Eu saí garoto e voltei um pai de família, casado', disse o jogador.

'Além do Rogério (Ceni), trabalhei com Thiago Silva , Thiago Motta, Harry Kane... Eles me ensinaram bastante na maneira de falar e de ser o líder do time. E vamos aprendendo com eles', completou.

Lucas também foi comparado Rogério Ceni, com quem dividiu vestiário e venceu o título da Sul-Americana de 2012. Assim como o ex-goleiro, o camisa 7 é o grande exemplo a ser seguido pelos colegas, mas ele evita se colocar no mesmo patamar do ídolo.

'Seria muita ousadia eu me comparar com o Rogério, né. É o maior ídolo do clube, meu ídolo e um amigo. Eu sei que o São Paulo passou por uma década difícil, muitos anos sem ganhar um título, ainda mais depois de anos tão vitoriosos. Eu não vim para cá com essa pretensão de ser um líder, mas com o desejo de ajudar um time que não pode ficar tanto tempo sem vencer um título de expressão', comentou.

'A gente tem a oportunidade agora, vamos fazer nosso melhor. O reconhecimento, liderança, idolatria e essas outras coisas são consequências do trabalho. Tem outros jogadores no elenco que podem ocupar esse espaço também. Só procuro dar o meu melhor', concluiu.

O São Paulo de Lucas tem uma grande chance de conquistar um título de expressão diante do Flamengo, na final da Copa do Brasil. O primeiro jogo da decisão está marcado para 17 de setembro, às 16h (de Brasília), no Morumbi. Já a volta acontece uma semana depois, no mesmo horário, no Morumbi.