Praça Tenente Antonio João Ribeiro

| REDAçãO


Esse é o nome que nós douradenses ouvimos desde sua construção. Não há nenhuma identificação e assim quem vem de fora procura em seu quadrante. Não encontrando fica na dúvida porque existem duas estátuas, a do colono e do militar e o jeito é tirar a informação.
Hoje passando por ela deparei-me com as duas estátuas e um soldado solitário tendo à sua frente uma tocha acesa. Uma senhora perguntou-me o porquê de estar tirando a foto. Expliquei a ela o motivo, afinal estávamos na semana da pátria e a tocha foi trazida da Brigada de Cavalaria pelos estudantes das escolas públicas e será apagada no dia 7 de setembro, dia da independência.
Assim como ela, muita gente parou e observou a tocha acesa e saiu sem entender o porquê.
O Municipio prometeu fazer o maior desfile de Dourados, mas na sexta-feira nenhuma repartição publica municipal vai funcionar.
Agora com o pagamento em dia a maioria dos funcionários vão gastar alguns trocados na fronteira, ir pescar e até viajar.
Tenho ouvido de muita gente que a comemoração de amanhã não terá o brilhos dos anos anteriores.
Pode ser verdade, pois não se vê nas residências, no comércio as bandeiras do Brasil e nem nos carros que circulam pela cidade.
É um presságio de que a população não tem nada a comemorar e está descrente das promessas do atual governo.
O bumbo de quem acompanha a marcha no romper do pé direito não será retumbante.

 

José Tibiriça Martins Ferreira