Agosto Lilás: Coordenadoria–Geral de Perícias avança na abordagem de crimes de gênero

| GOVMS / NYAHN


Para promover capacitação contínua sobre violência de gênero, a Coordenadoria-Geral de Perícias, da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul, realizou o 1° Encontro de Aperfeiçoamento e Padronização de Protocolos por meio do Instituto de Criminalística. O evento ganha ainda mais destaque ao unir forças através do Núcleo de Perícias Externas (NPE), em colaboração com os setores de Crimes Contra a Vida (SCCV) e Crimes Contra o Patrimônio (SCCP), para enfrentar os desafios dos exames periciais relacionados a casos de feminicídio e outros incidentes.

Com abordagem minuciosa e técnica, a Coordenadoria-Geral de Perícias transforma os vestígios das cenas de crimes em peças indispensáveis para a administração da justiça, contribuindo para a identificação e punição dos agressores, reforçando assim os passos positivos alcançados na batalha contra a violência de gênero no Estado.

No cenário de avanços contra a violência de gênero, o mês de enfrentamento à violência contra a mulher em Mato Grosso do Sul apresentou redução de 36% nos casos de feminicídio durante o período de janeiro a julho, atingindo o nível mais baixo dos últimos sete anos. Dados da Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública) apontam que nos sete meses, em comparação com o mesmo período de 2022, a quantidade de vítimas passou de 25 para 16 mulheres.

A perita criminal Karina Rébulla Laitart, chefe do NPE, destaca que o encontro reforça a importância de abordar os casos com perspectiva integral. 'As razões de gênero que podem estar presentes nas mortes violentas de mulheres devem ser meticulosamente buscadas, seguindo um rigor metodológico e criterioso. Isso implica considerar cada marca ou indício potencialmente associado à motivação misógina e sexista do agressor, assim como a conduta assumida durante a execução do crime'.

Além disso, por meio de aprimoramentos contínuos, as equipes de peritos criminais e agentes de polícia científica do NPE, SCCV e SCCP são capacitadas para adotar olhar sensível e diferenciado diante de situações que abrangem diversas formas de violência - física, sexual, moral, psicológica e patrimonial. “Tais aprimoramentos permitem uma compreensão mais profunda, inclusive reconhecendo que essas formas de violência podem ter se iniciado muito antes do desfecho fatal', disse Laitart.

A instituição reitera o compromisso em buscar soluções que garantam a justiça e a segurança das mulheres, não apenas durante o Agosto Lilás, mas em todos os meses do ano. Esse esforço contínuo reflete na resolução de casos, e também na construção de uma sociedade mais justa e igualitária para todos.

Como denunciar

Mato Grosso do Sul conta com uma rede de proteção às mulheres vítimas de violência. Para fazer denúncia anônima, basta ligar para o telefone 180. Já para acionar a Polícia Militar o número é o 190.

O Disque 100 recebe denúncias relativas a violações de Direitos Humanos, como os relacionados às crianças e adolescentes. O Estado conta ainda com 30 Salas Lilás, dedicadas exclusivamente para atender mulheres, adolescentes e crianças vítimas de violência doméstica ou sexual ou em situação de vulnerabilidade.

Maria Ester, Coordenadoria-Geral de Perícias