Sustentabilidade e a indústria gráfica: personalização de rótulos e embalagens pode ser mais sustentável? - *Por Julia Morassutti

| ASSESSORIA


Nos últimos anos, as práticas de ESG (do inglês, Ambiental, Social e Governança) estão ganhando cada vez mais força nas estratégias das empresas, principalmente nos diversos setores da indústria. Um estudo recente da CNI (Confederação Nacional da Indústria), revela que 6 em cada 10 das companhias pesquisadas estão adotando a sustentabilidade para a melhoria do desempenho operacional, transparência e estratégia. Além disso, uma pesquisa global da KPMG afirma que 95% dos consumidores estão dispostos a pagar mais às marcas que, de alguma forma, contribuam para a sociedade, seja na área ambiental ou social. 

 

Com um público exigente e um mercado concorrido, as marcas estão em busca de embalagens e rótulos (e itens personalizados em geral) mais sustentáveis. Ou seja, produtos que tenham compromisso com o meio ambiente.  Com os avanços tecnológicos, hoje é possível produzir mais, em menos tempo, e com mais respeito ao meio ambiente, trazendo benefícios também à indústria gráfica. 

 

Há diversas vantagens no uso de equipamentos de última geração e do uso de sistemas automatizados. Máquinas modernas possibilitam menor consumo de energia, além de trazerem tecnologia já embarcada com diversos recursos de otimização de produção, permitindo menores índices de desperdício, portanto menor geração de resíduos e também menor demanda de estoque.  Além disso, a indústria também tem se mostrado bastante ativa tanto na busca de mais e novas alternativas de reciclagem de materiais, como na substituição de matérias primas e insumos por outros mais sustentáveis. 

 

Para que tudo isso dê certo, é preciso haver uma mudança de cultura, com campanhas internas para que os colaboradores também estejam engajados com a importância da sustentabilidade, incentivando a criação e a adoção de melhores práticas no dia a dia de suas atividades. Paralelamente deve também existir uma relação de transparência e responsabilidade da empresa com os consumidores, a sociedade e todas as partes interessadas.  Um processo que requer empenho, paciência e persistência, porque os resultados são obtidos a médio e longo prazos. Aos poucos vamos transformando o mundo em um lugar melhor. 

 

O que vemos, portanto, é que a tecnologia vem proporcionando importantes avanços ao longo dos anos, aliando maior produtividade às práticas de sustentabilidade. Também há uma maior conscientização das companhias do quanto elas podem impactar positivamente o planeta e a vida das pessoas. Ainda temos um longo caminho pela frente, mas já sabemos que o futuro será promissor, e bem melhor do que o que temos hoje. 

 

 

*Julia Morassutti é diretora Jurídica, de Gente, Cultura e Sustentabilidade da Printi, uma das maiores gráficas online da América Latina, voltada para materializar ideias por meio da personalização, utilizando  as melhores tecnologias.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE