Hospitais universitários federais entram no PAC para fortalecer o SUS

Com 1,5 bilhão de reais de investimentos, esta será a primeira vez que a Ebserh é contemplada pelo Programa

| ASSESSORIA


 O novo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), lançado pelo governo federal nesta sexta-feira, 11, traz uma importante novidade para os hospitais universitários federais. Pela primeira vez, os hospitais receberão um investimento para melhorar e ampliar o atendimento aos pacientes do SUS, bem como aumentar sua capacidade de ensino, pesquisa e inovação. Ao todo serão 1,5 bilhão de reais no período 2024-2027.

O gerenciamento desta verba será feito pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, estatal vinculada ao MEC que administra 41 hospitais universitários federais em todo o país. “O Brasil entra em uma nova fase de investimentos na saúde para melhorar a vida da população e a Ebserh faz parte desse esforço”, afirma o presidente da estatal, Arthur Chioro.

As intervenções por meio do PAC contemplarão todos os hospitais da Rede Ebserh, incluindo aqueles que, no momento, se encontram em fase de negociação para serem incorporados à rede, o que inclui o Complexo Hospitalar da Universidade Federal do Rio de Janeiro (CH-UFRJ), da Universidade Federal de Lavras (HU-UFLA), em Minas Gerais, Universidade Federal de Roraima (HU-UFRR) e da Universidade Federal do Acre (HU-UFAC). Estes dois últimos estados, inclusive, ainda não tinham unidades vinculadas e se somarão às 41 geridas pela empresa pública. “Os investimentos do Programa consolidam a atividade da Ebserh, de modo que agora todos os Estados possam usufruir de um modelo de gestão que tem funcionado desde a fundação da empresa, bem como solidificam o trabalho já realizado pela nossa rede, melhorando o ambiente que nossos profissionais exercem suas atividades e o usuário do SUS desfruta dos nossos serviços”, ressalta Arthur Chioro.

Fazem parte da aplicação dos recursos do PAC a reconfiguração e reestruturação de prédios antigos, alguns deles quase centenários, que necessitam melhorias, reforços estruturais, mudança de fluxos internos, para que as necessidades do perfil assistencial sejam atualizadas.

A grande maioria das obras foi elencada de forma estratégica, estando vinculada ao incremento na assistência e a ampliação da oferta assistencial para a população do município onde o hospital está localizado, conforme explicou a diretora de Administração e Infraestrutura, Odete Gialdi.

A aplicação dos investimentos projeta as unidades da Ebserh para a manutenção da prestação de um serviço com excelência em longo prazo. “Nós precisamos, além de resolver as questões mais imediatas dos hospitais, pensá-los para o futuro. Muitas dessas intervenções que estamos fazendo hoje, através do PAC, também possibilitam que esses hospitais tenham uma nova reconfiguração física e tecnológica, para que daqui a 20 anos eles estejam ainda em condições de seguir funcionando e atendendo à população com qualidade”, detalhou Giraldi.

Sobre a Ebserh

Vinculada ao Ministério da Educação (MEC), a Ebserh foi criada em 2011 e, atualmente, administra 41 hospitais universitários federais, apoiando e impulsionando suas atividades por meio de uma gestão de excelência. Como hospitais vinculados a universidades federais, essas unidades têm características específicas: atendem pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) ao mesmo tempo que apoiam a formação de profissionais de saúde e o desenvolvimento de pesquisas e inovação.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE