Manucã é a plataforma de venda para pequenos agricultores

| SEMAGRO


Para ampliar os horizontes da Agricultura Familiar, o Governo do Estado lançou o Manucã. Trata-se de uma plataforma digital para dar aos agricultores familiares de Mato Grosso do Sul a oportunidade de readequar o modelo de comercialização de seus produtos diante das mudanças causadas pela pandemia de coronavírus. O Estado conta atualmente com 43 mil propriedades enquadradas como agricultura familiar.

A plataforma surgiu da necessidade de socorrer pequenos produtores para escoar a produção de hortifrutigranjeiros. O segmento viu o consumo cair devido a reajuste no modelo de comercialização e por isso novas formas de vender a produção que é perecível se fizeram necessárias.

Diante do gargalo, a Superintendência de Ciência e Tecnologia, Produção e Agricultura Familiar da Semagro decidiu agir para minimizar as perdas dos produtores, tendo a inovação e a tecnologia como aliadas. Na plataforma os produtos poderão ser oferecidos gratuitamente ao mercado consumidor de vários segmentos interessados nos hortifrútis.

A plataforma recebeu o nome de Manucã. A palavra em guarani que significa ‘vou trabalhar na roça’ e é uma maneira de homenagear aqueles que tiram do campo seu sustento e levam alimentos de qualidade à mesa de muitas famílias. A plataforma já está no ar e pode ser acessada aqui. 

Após o cadastro feito na plataforma, a negociação passa a ser realizada entre ambos, para decisão de preços e formas de entregas. Não há pagamento para uso da plataforma por nenhuma das partes, já que a ideia é justamente ligar um ao outro sem onerar os custos.

O titular da Semagro, secretário Jaime Verruck explica que a Manucã foi criada para resolver um problema dos agricultores familiares neste momento de pandemia, mas que deve se fortalecer com o tempo mesmo depois do coronavírus. “Recebemos o apoio da AMAS e da Abrasel/MS, que se interessaram pela proposta. Assim o Estado cumpre o seu papel de divulgar os produtores e conectá-los com os compradores, utilizando a tecnologia a favor”.

A divulgação da plataforma está sendo realizada com reuniões virtuais e com equipe técnica da Agraer responsável por informar e auxiliar os produtores a se cadastrarem. O projeto também conta com apoio do SEBRAE e SENAR e da UFGD, onde dois acadêmicos da Engenharia da Computação passaram por um processo seletivo para  bolsistas  financiado pelo CNPq/MCTIC, que tem atuado em conjunto com a Semagro, por meio do Projeto Bioeconomia

Para se cadastrar é simples e rápido. Basta acessar a plataforma, se cadastrar (como pessoa física ou jurídica) e anunciar os produtos. Dessa forma os compradores podem ampliar a sua rede de fornecedores e as empresas de logística podem participar viabilizando e otimizando as entregas.

Dentro da plataforma não é realizado e-commerce, somente é permitido disponibilizar anúncios de oferta e demanda. É um local virtual onde agricultores familiares e consumidores podem se encontrar e anunciar tudo relacionado a produção e comercialização de frutas, hortaliças, mudas e plantas ornamentais – gratuitamente.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE