Julho Verde: campanha alerta sobre prevenção do câncer de cabeça e pescoço

INCA aponta que cerca de 704.080 novos casos de câncer serão registrados no País, ainda em 2023. Destes, 40 mil serão na região da cabeça e pescoço

| ASSESSORIA


O câncer é o principal problema de saúde pública no mundo e está entre as principais causas de morte. O impacto da incidência e da mortalidade pela doença está aumentando rapidamente no cenário mundial e, segundo dados da Estimativa 2023 sobre Incidência de Câncer no Brasil, desenvolvido pelo INCA (Instituto nacional de Câncer), cerca de 704.080 novos casos serão registrados no País, ainda em 2023.

Julho é mês da campanha que aborda mundialmente a prevenção dos cânceres de cabeça e pescoço que englobam boca (cavidade oral), laringe e tireoide. O tumor na tireoide possui diversos tipos histológicos, que diferem em termos de origem celular, incidência e letalidade. O INCA destaca que, para cada ano do triênio de 2023 a 2025, o número de novos casos de tumor na tireoide é de 16.660, o que corresponde a um risco estimado de 2,33 casos novos a cada 100 mil homens e 12,79 a cada 100 mil mulheres. Sem considerar os tumores de pele não melanoma, o câncer de tireoide ocupa a sétima posição entre os tipos de câncer mais frequentes.

O câncer da laringe ocorre predominantemente em homens acima de 40 anos e é um dos mais comuns entre os que atingem a região da cabeça e do pescoço, representando cerca de 25% dos tumores malignos que acometem essa área. Nesses casos de neoplasia, o número estimado de novos casos é de 7.790, para cada ano do triênio de 2023 a 2025, sendo uma média de 6.570 em homens e 1.220 em mulheres, no Brasil.

Dos novos registros de neoplasia na tireoide, em 2023, na região Sudeste São Paulo lidera com 5.540, seguido de Minas Gerais com 1.720 e Rio de Janeiro com 1.470 novos casos. No Nordeste, Ceará está no topo com 1.190, em seguida está a Bahia que terá cerca de 950 novos casos. Já no Centro Oeste, os números são menores e Mato Grosso e Mato Grosso do Sul têm a estimativa de 220 e 190 casos, respectivamente.

Em relação ao tumor na laringe, ainda em 2023, a região Sudeste permanece com São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro à frente, com 2.130, 900 e 640 casos, nessa ordem. Bahia e Maranhão registrarão 490 e 120 novos casos, entre outros Estados do Nordeste. Mato Grosso e Mato Grosso do Sul seguem a linha menor de registros com 110 e 140 casos.

O médico e coordenador do curso de Medicina da Uniderp, Alexandre Cury, aponta alertas sobre a doença. “O tabagismo está entre as principais causas de morte evitável no mundo e, não é diferente quando estudamos a incidência de tumores na parte superior do corpo humano. Os fumantes têm 10 vezes mais chances de desenvolver câncer de laringe e 15 vezes a mais de chances de desenvolver câncer de boca, se comparado àqueles que nunca fumaram. Quando associados, o fumo e o álcool aumentam em mais de 140 vezes os riscos”.

Dentre os sintomas que devem ser observados, estão: 

• Aparecimento de nódulo no pescoço 

• Manchas brancas ou avermelhadas na boca 

• Ferida que não cicatriza em duas semanas 

• Dor de garganta que não melhora em 15 dias 

• Dificuldade ou dor para engolir 

• Alterações na voz ou rouquidão por mais de 15 dias 

Esses sinais também são causados por outras condições clínicas. Portanto, é importante conversar com seu médico. Consultar um médico especialista no assunto e cumprir com a realização de exames prescritos é essencial para um diagnóstico precoce.

Quanto à prevenção, o médico recomenda a adoção de hábitos de vida saudáveis, além de evitar vícios como tabagismo e consumo excessivo de bebidas alcoólicas, ter uma alimentação balanceada, manter a higiene bucal em dia e acompanhamento médico periódico.

Sobre a UNIDERP

Fundada em 1974, a Universidade para o Desenvolvimento do Estado e da Região do Pantanal (Uniderp) já transformou a vida de milhares de alunos, oferecendo educação de qualidade e formação compatível com o mercado de trabalho em seus cursos de graduação, pós-graduação lato sensu, mestrado, doutorado e extensão, presenciais ou a distância. Uma das universidades mais tradicionais do estado do Mato Grosso do Sul, presta inúmeros serviços gratuitos à população por meio do Núcleo de Práticas Jurídicas e das Clínicas-Escola na área de saúde que abre espaço para a atuação dos acadêmicos, unindo formação de qualidade com a preocupação de compartilhar o conhecimento com a sociedade também por meio de projetos e ações sociais. O curso de Medicina oferece infraestrutura completa com laboratórios de simulação que aprimoram o aprendizado por meio de aulas práticas. A universidade tem parcerias em hospitais conveniados, em diversos pontos da região, com programa de estágio e residência.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE