Auxiliar de Turra admite falta de competitividade do Santos no clássico: ‘Fomos passivos’

A atuação apática do Santos na derrota por 4 a 1 diante do São Paulo, estava estampada no rosto de Felipe Endres

| FUTEBOL INTERIOR


Santos é atropelado no Morumbi (Foto: Divulgação)

A atuação apática do Santos na derrota por 4 a 1 diante do São Paulo, no Morumbi, pela 15ª rodada do Brasileirão, estava estampada no rosto do auxiliar técnico de Paulo Turra, Felipe Endres. Em coletiva de imprensa, ele admitiu a falta de competitividade da equipe, que, na visão dele, foi passiva frente a um rival dominante em boa parte dos 90 minutos.

“Acredito que fomos muito passivos. Essa é a palavra. Tínhamos a estratégia, mas fomos muito passivos. Temos que ter competitividade, entregar e competir. Pode ter certeza que vamos trabalhar mais para taticamente e coletivamente entregarmos mais. É um momento de rever algumas coisas. Não passa só por um, passa por todos. É momento de unir, trabalhar e superar erros que vão acontecendo. Não podemos cometer erros em sequência”, disse.

Endres substituiu Paulo Turra, expulso na vitória por 4 a 3 sobre o Goiás. Com essa comissão técnica, o Santos fez apenas quatro partidas, com uma vitória, um empate e duas derrotas.

“É difícil de falar qual é o problema. A gente trabalhou forte, tem trabalhado forte, chegamos cedo ao CT, voltamos tarde. Temos nos dedicado. Hoje, a nossa estratégia não deu certo. Temos que seguir. É momento da gente se unir, trabalhar junto e dar a volta por cima. No que depender da gente, vamos dar a volta por cima. O Santos é um time grande”, afirmou.

O próximo desafio do Santos no Brasileirão é ninguém menos do que o líder Botafogo. O jogo será no domingo, às 16h, na Vila Belmiro. O auxiliar admitiu que a derrota para o São Paulo pode afetar o psicológico.

“Toda derrota pesa, em um clássico ainda mais. Precisamos nos unir, abraçar e nos olhar. Todo o clube precisa disso, é o clube que precisa sair dessa situação. O Botafogo é um adversário difícil, mas temos que focar na gente. Focar em nós e nos superarmos mais e mais. Lamentamos jogar sem torcida, é a história do clube, não poder contar com ela nesse momento nos prejudica muito. Precisamos desse apoio, desse 12º jogador”, disse.

Com a derrota para o São Paulo, o Santos ficou com 16 pontos, mas manteve a diferença de cinco para o Goiás, o primeiro time dentro da zona de rebaixamento.

“Falta mais de meio campeonato, é muito cedo para apontar dedo. Ficamos chateados, mas vamos trabalhar mais e mais. É sempre ruim perder, ainda mais do jeito que foi. Vamos nos unir, trabalhar mais e mais para no próximo fim de semana conseguirmos o resultado”, disse.

Por: Agência Estado, 16/07/2023



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE