Após fala polêmica, auxiliar do Palmeiras pode levar até seis jogos de suspensão; entenda

| GAZETA ESPORTIVA


Depois de dizer que 'é ruim para o sistema o Palmeiras ganhar (o Brasileirão) dois anos seguidos' e que 'na Europa, não veem jogos do Brasileiro porque parece mais teatro do que futebol', João Martins pode acabar enquadrado no artigo 258 do CBJD, o Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

Conforme apurado pela Gazeta Esportiva, o STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) está estudando o caso para melhor avaliação em caso de denúncia — algo que, segundo apontado pela CBF em nota oficial, deve acontecer.

A possibilidade de punição ao auxiliar do Palmeiras depende exclusivamente, claro, da decisão dos auditores. O que está claro é: caso denunciado, João Martins deve ser enquadrado por 'assumir qualquer conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva não tipificada pelas demais regras deste código'.

Por ser membro de comissão técnica, a possível pena a ser aplicada pode variar de um a seis jogos de suspensão.

A não expulsão de Zé Ivaldo na partida do último domingo entre Athletico-PR e Palmeiras desencadeou em uma sucessão de eventos que, na ponta final da cadeia, explicitou um verdadeiro 'cabo de guerra' entre a Confederação Brasileira de Futebol e o clube alviverde.

Após a partida na Ligga Arena, válida pela 13ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro — que terminou em empate por 2 a 2, após o Verdão desperdiçar vantagem de dois gols no embate —, o auxiliar técnico João Martins desabafou na entrevista coletiva.

A fala gerou uma resposta contundente da CBF. Na manhã da última segunda-feira, a entidade nacional acusou o auxiliar de xenofobia, criticou pesadamente as declarações e reiterou que irá ao STJD 'para que ele (João Martins) revele qual seria o esquema ou o sistema no futebol brasileiro que não permite que o melhor vença'.

O Palmeiras logo contra-atacou. Em extensa nota, o Verdão defendeu o auxiliar, pediu isonomia, apontou agressividade da CBF e questionou a entidade em oito pontos diferentes, voltando a citar erros de arbitragem contra a equipe.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE