Conheça os momentos importantes no desenvolvimento dos cães

Durante os primeiros meses de vida, o impacto da nutrição é essencial para o bem-estar dos filhotes

| ASSESSORIA


Compreender as fases do crescimento do pet pode ajudar o tutor a reconhecer os desafios que o filhote enfrenta e a cuidar melhor dele. Um desses cuidados importantes se refere ao fornecimento dos nutrientes essenciais bem como o equilíbrio nutricional correto do alimento, algo fundamental para o desenvolvimento saudável e posterior manutenção durante a vida adulta.

A duração e a intensidade do crescimento de um cão são determinadas principalmente pelo porte. Existem cinco grupos de portes diferentes: muito pequeno, pequeno, médio, grande e gigante. De acordo com Letícia Tortola, Médica-Veterinária e Coordenadora de Comunicação Científica da Royal Canin Brasil, considerar a raça ou porte do filhote faz diferença no que diz respeito a uma nutrição especializada. “Filhotes de porte muito pequeno e pequeno crescem mais rápido e de uma maneira diferente dos filhotes de porte grande e gigante. Durante os primeiros meses de vida, a nutrição é extremamente importante”.

A forma como cuidamos e nutrimos do filhote irá impactar na saúde por toda sua vida “O monitoramento contínuo do filhote é uma combinação de consultas regulares ao Médico-Veterinário e do cuidado constante do tutor”, comenta a especialista. “Os filhotes são glutões por natureza, ou seja, anseiam por comida e é por isso também que a fase de crescimento requer um alimento de qualidade e específico, assim como um cuidado com a quantidade fornecida, sempre seguindo as recomendações do Médico-Veterinário. Embora eles precisem de muita energia para crescer, não devemos cair na tentação de alimentá-los em excesso”.

A primeira fase de crescimento corresponde ao desenvolvimento da estrutura óssea e dos órgãos internos do filhote. “As necessidades de energia do cão filhote são altas e seu sistema imunológico ainda é imaturo, além de que seu sistema digestivo ainda está em formação. Portanto, para evitar a sobrecarga estomacal, o indicado é dividir a porção diária em três refeições por dia”, orienta Letícia.

Já a segunda fase de crescimento começa quando o filhote pesa 80% do seu peso adulto total. “Nesta fase são consideradas outras mudanças, como: desenvolvimento dos músculos, diminuição das necessidades energéticas, sistema digestivo mais maduro e com maior carga de alimentos. Já pode se considerar um momento adequado para a castração, por exemplo”, explica a especialista em Nutrição da ROYAL CANIN®, que lista a seguir as cinco fases de desenvolvimento do cão filhote. Confira!

Nascimento

Imediatamente após o nascimento, é indicado que o filhote seja guiado para mamar. É importante que os neonatos mamem o mais rápido possível após o nascimento. A mãe transmite, através do colostro, anticorpos importantes para a ninhada nessas primeiras horas, que dão suporte ao sistema imunológico imaturo do recém-nascido.

Neonatal (0 a 3 semanas)

Esse período se estende desde o nascimento até cerca de três semanas. Nesse período, a maior parte da vida parece ser dominada pelo sono e por algumas atividades reflexivas. Os filhotes continuam dependendo da mãe para obter os nutrientes, a energia e a água através do leite materno. A maior parte da vida de um cão filhote nesta primeira fase do crescimento é gasto se alimentando ou dormindo.

Desmame (de 4 a 8 semanas)

Trata-se de um período crucial na infância, pois significa o momento em que os pets começam a ganhar independência. Os olhos e ouvidos deles estão agora trabalhando em algum grau e os cães filhotes começam a reagir à luz e ao som. Nesta fase, o alimento deve ser adaptado ao desenvolvimento das funções digestivas do filhote de cão. Durante o período de desmame, ocorre a transição em que a mãe ainda provê todas as necessidades nutricionais dos cães filhotes até o momento que eles conseguem se alimentar sozinhos. Nesta fase, os filhotes começam a ter mais interesses no alimento da mãe. A maioria já vai ser capaz de lamber água de uma tigela. Os croquetes reidratáveises facilitam a mastigação nessa fase da vida, que possui nutrientes específicos para o fortalecimento do sistema imunológico e suporte ao microbioma dos cães.

Fase de infância (a partir de 8 semanas)

Os cães filhotes começam a aprender lições e a conviver com os outros animais e pessoas, ou seja, é um período importante de socialização e treinamento. Boa parte da altura e do crescimento muscular de um cão filhote acontece entre seis e nove meses, dependendo do porte. Os dentes de leite são substituídos por dentes permanentes, e uma pelagem adulta substitui a pelagem de filhote. Este é um estágio fundamental no desenvolvimento físico dos filhotes, portanto, garantir que eles estejam ingerindo alimentos projetados para atender às necessidades dessa fase de desenvolvimento é vital.

Tornando-se um adulto (de 10 a 24 meses)

O processo de crescimento de filhotes varia de acordo com o porte. Cães de porte muito pequeno atingem a maturidade em até 10 meses, enquanto os cães de porte gigante são considerados totalmente desenvolvidos entre 18 e 24 meses. À medida que um filhote transita para a idade adulta, suas necessidades nutricionais mudam. Nesse momento, é hora de fazer a transição gradual para um alimento para cães adultos que suporte as necessidades nutricionais específicas de seu porte ou raça e estilo de vida.

Para mais informações sobre a linha Filhotes da ROYAL CANIN®, acesse: Link.

 

Sobre a ROYAL CANIN®

A multinacional Royal Canin, uma das maiores fabricantes do mundo de alimentos de alta qualidade nutricional para gatos e cães, celebrou 50 anos em 2018. Com 16 fábricas no mundo e presente em 92 países, a marca considera sempre o gato e o cão em primeiro lugar e tem sua história focada no conhecimento e respeito por estes animais. Em 2002, passou a fazer parte da Mars, Incorporated, líder mundial em alimentos para animais de estimação. A unidade brasileira da Royal Canin está instalada em Descalvado, interior de São Paulo, desde 1990. No mercado brasileiro, a marca disponibiliza mais de 150 alimentos, incluindo produtos específicos para raças, portes, idades, estilos de vida, necessidades específicas, cuidados especiais e auxiliares no tratamento de algumas doenças. Os produtos estão disponíveis em canais especializados, entre os quais, clínicas veterinárias e pet shops, em mais de 15 mil pontos de vendas no Brasil. Para mais informações visite o site:Link



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE