Mulher é atacada por ex-companheiro enquanto dormia com filho e fica gravemente ferida em MS

Homem com mandado de prisão em aberto invadiu residência em que mãe e filho dormiam e, com um facão, desferiu golpes nos braços da mulher. Ele está foragido.

| G1 / JOãO PEDRO GODOY, G1MS


Uma mulher de 20 anos foi atacada com um facão pelo ex-companheiro enquanto dormia com o filho, na madrugada desta sexta-feira (12), em Costa Rica, a 329 quilômetros de Campo Grande.

De acordo com o boletim de ocorrência, mãe e filha estavam dormindo quando o suspeito, de 26 anos, invadiu a residência e passou a desferir golpes de facão contra a mulher. Ela usou os braços para se defender e foi atingida na região. Conforme a polícia, uma das mãos da jovem foi quase decepada no ataque. A casa ficou com rastros de sangue por toda a parte.

O homem fugiu quando vizinhos, incluindo a mãe da vítima, ouviram os gritos e foram prestar socorro, além de acionar a polícia. A arma branca utilizada no crime foi encontrada próxima da residência e passará por perícia. Bastante ferida, a mulher foi atendida e levada até a Fundação Hospitalar, onde passou por cirurgia nos braços. O estado de saúde dela não foi informado.

O suspeito pelo crime foi identificado pela polícia, mas está foragido. De acordo com a Polícia Civil de Costa Rica, além de diversas equipes estarem nas ruas para procurar o agressor, um alerta foi emitido para barreiras sanitárias próximas do município com as características do homem e do veículo que teria sido utilizado na fuga. O homem já tinha passagens pela polícia e estava com mandado de prisão em aberto por ameaça e descumprimento de medida protetiva contra a própria ex companheira.

O caso foi registrado como tentativa de feminicídio, majorado por ser praticado aos olhos do filho dela. Apenas em 2020, 15 feminicídios já foram registrados em Mato Grosso do Sul, número maior do que o registrado no mesmo período do ano passado.

Vítimas e testemunhas de agressões contra mulheres podem denunciar pelo telefone '180' ou acionar a polícia pelo telefone 190. Polícia Civil e governo do estado também disponibilizaram uma plataforma de informações para combater o feminicídio, através do site http://www.naosecale.ms.gov.br.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE