Dr. Diogo Castilho pede inclusão de cirurgia bariátrica em Dourados

| CâMARA DOURADOS / ASSESSORIA


Vereador pediu um estudo de viabilidade para incluir a cirurgia entre os serviços do SUS que serão realizados no novo Hospital Regional Foto: Divulgação/Assessoria

O vereador Dr. Diogo Castilho (PSDB) encaminhou nesta semana um requerimento ao Secretário de Estado de Saúde, Flávio Brito, pedindo a realização de um estudo de viabilidade para incluir a cirurgia bariátrica na lista de serviços do SUS - Sistema Único de Saúde, que serão oferecidos pelo novo Hospital Regional de Dourados, em construção às margens da BR 463, saída para Ponta Porã e que tem previsão de ser concluído em dezembro deste ano. 

“Sou médico e vereador. Minha luta é em prol de melhor atendimento e mais qualidade de vida à população douradense. O novo Hospital Regional será um marco para Dourados e as 33 cidades da região Sul do Estado, que são atendidas aqui no município que é polo na área da saúde. É uma unidade que contará com infraestrutura adequada para realizar cirurgias de alta complexidade. Dentre estas espero que esteja a cirurgia bariátrica. Quem ganha com isso é a sociedade que está vendo o dinheiro dos seus impostos sendo bem empregado” declarou o  parlamentar.

Atualmente Dr. Diogo presta atendimento como médico cirurgião no atual Hospital Regional, que funciona no prédio do antigo Hospital São Luís. Ele destaca que o Governo do Estado tem realizado, em Dourados, um excelente trabalho de assistência à saúde reduzindo as filas de espera. “Fazemos cerca de 200 cirurgias por mês, grande parte de hérnia e vesícula. São intervenções que acabam com o sofrimento das pessoas e reestabelece a qualidade de vida da nossa população”, relembra.

O médico diz que a inclusão de cirurgia bariátrica nos serviços tem uma explicação prática, já que durante a pandemia o quadro de obesidade se agravou no Brasil. A pesquisa da Diet & Health Under Covid 19 revela que cada brasileiro engordou em média seis quilos e meio durante os dois anos de pandemia. “É claro que algumas pessoas mantiveram o peso. Mas outras com quadro de  ansiedade e predisposição a engordar tiveram a situação agravada e ficaram bem acima da média. Precisamos combater a obesidade que é uma questão de saúde pública”, reitera Dr. Diogo Castilho.

O parlamentar lembra que existem critérios para a pessoa poder ser beneficiada com esse tipo de tratamento pelo SUS – Sistema Único de Saúde. As portarias 424 e 425 do Ministério da Saúde estabelecem que para fazer a cirurgia bariátrica o paciente precisa ter um IMC - Índice de Massa Corpórea de 50 Kg/m2 ou com 40 kg/m2, mas sem sucesso no tratamento clínico, por no mínimo dois anos ou comorbidades, com alto risco cardiovascular, diabetes e hipertensão arterial de difícil controle.

“A bariátrica é um dos caminhos mais eficazes para reestabelecer a saúde desses pacientes que estão acima do peso e que se encontram com diversos problemas de saúde em decorrência da obesidade. Incluir a realização dessa cirurgia no novo Hospital Regional de Dourados será uma grande conquista, não só para o município, mas para toda a região”, conclui o vereador Dr. Diogo Castilho.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE