Márcio Pudim sugere ampliar número de vagas para o cargo de agente de fiscalização municipal

| CâMARA DOURADOS / ASSESSORIA


Vereador Márcio Pudim comenta números de acidentes e pede reforço no quadro de agentes de trânsito Foto: Valdenir Rodrigues/CMD

A Prefeitura de Dourados realizou, no mês de agosto deste ano, concurso público para preenchimento de vagas e formação de cadastro de reserva para diversos cargos e funções, conforme o Edital n° 01 de 04 de julho de 2022. Dentre as vagas foram ofertadas 12 para Agente de Fiscalização de Trânsito, vinculados à Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito).

No entanto, conforme observa o vereador Márcio Pudim (PSDB), a Agetran, criada em 2011, inicialmente contou com a disponibilização de 40 vagas para o cargo de Agente de Fiscalização Municipal, “porém, constata-se que no decorrer dos anos ocorreram algumas vacâncias e o quadro encontra-se deficitário e os serviços prestados, devido à falta de efetivo, por vezes, torna-se prejudicado”.

Ademais, acrescenta o vereador, segundo informações, atualmente o déficit de servidores da Agência Municipal de Transporte e Trânsito é estimado em 55%. “Ou seja, a agência vem funcionando com uma efetiva falta de servidores. Soma-se a isso, o fato de não ter havido concurso público para este setor há mais de 10 anos”.

Pudim lembra ainda que o novo certame oferece apenas 12 vagas, o que julga não ser o suficiente para suprir as necessidades de servidores que a Agência necessita, bem como para atender as demandas diárias que são apresentadas. “Prova disso é o crescente aumento nos índices de acidentes registrados no município de Dourados no ano de 2022, conforme aponta o site Dourados News, em recente matéria que faz constar que a ‘quantidade de pessoas que morreram em acidentes de trânsito neste ano em Dourados já é maior que o número de vítimas fatais registrado no decorrer de todo o ano passado’”.

O vereador chama atenção, também, para o fato, noticiado pelo jornal, dando conta que enquanto em 2021 um total de 23 mortes aconteceram em decorrência de acidentes em ruas e rodovias do município, entre janeiro e agosto deste ano pelo menos 30 pessoas já morreram vítimas de acidentes de trânsito em Dourados.

“É sabedor que as causas desses acidentes são as mais diversas possíveis, todavia, é perceptível a falta de fiscalização a fim de coibir as causas ligadas ao desrespeito à sinalização e ao excesso de velocidade, por exemplo”, pontua Márcio Pudim.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE