Alunos da Escola do Sesi de Naviraí aprendem em aula online sobre resíduos espaciais

| ASSESSORIA


Como parte das aulas online adotadas em razão da pandemia mundial do novo coronavírus (Covid-19), os alunos do 4º e 5º anos do Ensino Fundamental da Escola do Sesi de Naviraí aprenderam sobre os resíduos espaciais deixados pela corrida espacial. Durante a aula remota, as professoras Adriana Horta de Faria e Suzana Pereira desafiaram os estudantes, com a participação dos responsáveis, a construírem um projeto e um protótipo para retirar os resíduos de satélites que estão na órbita da Terra.

 

Com base no conteúdo da disciplina Ciências da Natureza e da cultura Maker, os alunos e familiares utilizaram matérias disponíveis em casa para apresentar soluções inovadoras para um problema que o mundo enfrenta. Por meio da webaula, via programa TEAMS, da Microsoft, as professoras trabalharam com os alunos as explorações espaciais e a estrutura do sistema solar, sendo que, alguns dias antes, foi solicitado aos alunos que guardassem materiais reciclados.

 

Além disso, foi enviado um convite para a família participar da aula Maker e, no dia do experimento, as professoras explicaram a metodologia. Após a apresentação do problema, o aluno e sua familiar elaboraram um projeto para a solução do problema, construíram o protótipo, utilizando as matérias disponíveis em casa, e, por fim, apresentaram as soluções. Durante toda a explicação do projeto e protótipo, os alunos foram desafiados com questões e fornecem respostas inovadoras embasadas em seus conhecimentos e percepções.

 

Segundo a professora Adriana Horta de Faria, a aula Maker é realizada com frequência na escola, porém, a grande novidade foi a participação da família, o que tornou tudo ainda mais especial. “O trabalho online possibilitou que uma grande quantidade de famílias participasse e foi excelente. Os alunos e as famílias se dedicaram e apresentaram soluções inovadoras. As crianças estavam entusiasmadas e as famílias orgulhosas de seus pequenos cientistas”, declarou.

 

Os alunos e os responsáveis

 

Para os alunos e os seus familiares que participaram do experimento, a atividade foi muito interessante. “Gostei muito da aula, pois foi muito participativa, tanto pelas mães, quanto pelos alunos. Também por ter tirado um tempo para realizar a atividade com o meu filho. Mesmo estando em casa a escola está conseguindo suprir toda a necessidade de aprendizagem que eles estão tendo”, disse Tânia Alves da Silva, mãe do aluno Pietro Henrique Domingues da Silva, do 5º ano do Ensino Fundamental.

 

“Eu achei a aula muito legal e muito divertida porque nós interagimos com as nossas mães que a semana inteira estão trabalhando”, completou Pietro Henrique Domingues da Silva. A aluna Isabelly Barboza Camelo, que também é do 5º ano do Ensino Fundamental, acrescenta que a atividade foi muito interessante. “Durante a aula Maker em casa, eu consegui ter uma ideia legal. O protótipo foi muito bom porque a minha mãe ajudou”, reforçou.

 

Na avaliação da mãe de Isabelly Camelo, Cristiane Barboza dos Santos, o tema da aula online foi realmente muito interessante. “A ideia de limpeza do espaço é um assunto que interessa a todos do planeta. A minha filha aprendeu muito com essa brincadeira sobre a organização de fazer o projeto e executar”, avaliou. “Participar das atividades escolares são momentos de trocas de aprendizado e a minha filha sente o quanto é importante sua vida escolar e eu sempre estarei aqui para auxiliar no que for possível”, acrescentou Dayane Dutra, mãe da aluna Maria Eduarda Dutra.

 

Já Jederson Corrêa, pai do aluno Guilherme Corrêa, ressalta que a construção do projeto, desde de pensar as funções que o desintegrador de lixo espacial teria até a montagem, foi muito gratificante. “Além de poder passar um tempo exclusivo Guilherme, aprimorou nossas habilidades criativas em um tempo de qualidade juntos. Foi muito especial toda a atividade e acima de tudo foi ver o quanto foi importante para ele fizéssemos tudo isso”, afirmou.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE