Com tornozeleira eletrônica, suspeito de matar professora em acidente é solto em MS

De acordo com a decisão, suspeito também deverá pagar fiança de R$ 10,4 mil.

| G1 / G1 MS


A juíza da 3ª Vara Criminal de Campo Grande, Eucelia Moreira Cassal, concedeu nesta terça-feira (9) habeas corpus ao tenente da Polícia Militar, de 32 anos. O militar se envolveu em um acidente de trânsito que provocou a morte da professora Suellen Vilela Brasil, no dia 30 de maio, em Campo Grande. Segundo a polícia, ele estava embriagado no momento da colisão.

Na decisão judicial desta terça-feira, a juíza determina que o habeas corpus fosse concedido mediante ao pagamento de fiança de R$ 10,4 mil. O militar também está proibido de sair a noite além de ficar sob monitoramento de tornozeleira eletrônica.

O acidente

O acidente que resultou na morte da professora aconteceu na avenida Gury Marques. O carro dela teve a traseira atingida pelo veículo do policial, subiu no canteiro e parou ao bater em uma árvore. Suellen morreu na hora.

Com o impacto, o carro do oficial da PM atravessou o canteiro central e parou na outra pista da avenida, no sentido contrário. O policial reclamou de dores, foi encaminhado para atendimento médico, liberado e autuado em flagrante.

Ele não aceitou fazer o teste do bafômetro, mas tinha indícios de embriaguez e confirmou aos demais policiais que havia ingerido bebida alcoólica. Diante da situação, foi feito o Auto de Constatação de Embriaguez.

À Polícia Civil, o tenente a disse que o carro da vítima reduziu a velocidade repentinamente e ele não conseguiu frear a tempo de evitar a batida.

A prisão preventiva do suspeito foi determinada no domingo (31), pelo juiz em plantão criminal, Francisco Vieira de Andrade Neto. O oficial estava no Presídio Militar.