Mudança de temperatura exige cuidados com a pele

Especialista dá dicas de hidratação da pele e lábios nos dias mais frios

| ASSESSORIA


Os dias de inverno têm sido atípicos e mais quentes que o comum. No entanto, nos últimos dias temos experimentado as quatro estações do ano em apenas 24 horas. Manhãs fresquinhas, tardes quentes, noites bem frias e lá se vai a pele saudável e hidratada.

O clima influencia no funcionamento de todo o corpo, desde unhas a cabelos. Mas, como sobreviver a tantas alterações de temperatura e incluir o skincare na rotina do dia a dia?

Além da pele mais sensível, a especialista lembra que devido à baixa temperatura e umidade do ar a perda de água por evaporação e consequente redução da hidratação, que acontece de forma natural na pele, é impactada tornando-a mais seca e desprotegida.

Thamiris Gorga Dias, dermatologista e professora do curso de Medicina da Uniderp, enfatiza que diante de temperaturas mais baixas, a tendência é que tomemos banhos mais quentes, o que acaba por ressecar mais a pele, aumentando os casos de dermatites, incluindo a atópica, por exemplo.

A melhor forma de evitar as dermatites mais comuns no inverno é estar com a pele sempre hidratada. Ao sentir que o ressecamento provoca a coceira, hidrate o corpo todo e procure um médico dermatologista para uma consulta e prescrição individualizada. “Alguns cuidados são indispensáveis. Optar por creme ao invés de loção é um caminho. Creme que contêm ureia costuma arder e não hidrata de forma tão eficaz. Óleos de banho, como aqueles próprios para bebês, são uma ótima opção”.

Entre os cuidados a especialista destaca:

·         Procurar não tomar banhos muito quentes, banhos mais rápidos;

·         Não usar sabonete no corpo todo, apenas áreas intimas e axilas;

·         Procurar usar sabonetes syndett com ação hidratante e óleos de banho;

·         Evitar uso de buchas;

·         Hidratar o corpo todo após cada banho.

O aspecto esbranquiçado e sem brilho diz muito sobre a saúde ou falta dela na derme. Enquanto alguns acreditam que podem se ver livre dos protetores solares mediante à menor exposição solar, vale ressaltar que esse importante componente deve ser visto como um aliado permanente. “Mesmo que a radiação UVB não seja tão intensa no inverno, há a presença dos raios UVA, que aceleram o envelhecimento da pele”, esclarece a dermatologista.