Reunião entre Polícia e torcidas discute protocolo para retorno de bandeiras em São Paulo

| GAZETA ESPORTIVA


Na tarde desta quinta-feira, um encontro entre membros da Polícia e representantes de torcidas organizadas do Estado de São Paulo - capital e interior - começou a definir alguns protocolos para a liberação de bandeiras com mastros nos estádios paulistas.

Na última terça-feira, o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo anunciou que o Juizado do Torcedor concedeu autorização para tal. A proibição existe desde 1996.

'Foi uma reunião em que foram definidas estratégias e como será adotada a volta das bandeiras aos estádios. São Paulo, diferentemente de outros estados do Brasil, existe uma lei estadual de 1996 que proibia o uso das bandeiras', iniciou César Saad, delegado do Drade (Delegacia de Repressão aos Delitos de Intolerância Esportiva).

'O Poder Judiciário, agora, com um trabalho nosso da Polícia Civil e Militar, foi autorizada a volta das bandeiras para que a gente faça o trabalho com as torcidas organizadas da capital e interior para que a festa das arquibancadas volte e eles também colaborem no trabalho para conter a violência em São Paulo', complementou.

Ou seja, ainda foram os primeiros passos e as diretrizes não foram definidas totalmente. Saad explicou os próximos passos.

'Esses parâmetros operacionais vão ficar a cargo da Polícia Militar, que vai editar uma portaria, porque existem estádios que têm capacidade muito maior e outros que têm capacidade menor, então isso vai ficar a cargo do policiamento dos estádios. Na própria representação que a gente fez, o número de bandeiras que for autorizado, a torcida organizada vai fornecer o RG e o nome daquele torcedor que ficará responsável por cada bandeira. É também uma forma de identificar o torcedor (caso ocorra algum problema', finalizou.

A expectativa agora é pela divulgação dessas diretrizes por parte da Polícia Militar nos próximos dias. O retorno das bandeiras com mastro é um pedido antigo das torcidas organizadas de São Paulo.