Ato pró-democracia de torcedores termina em confusão com a PM

| GAZETA ESPORTIVA


Na tarde deste domingo, integrantes de diversas torcidas organizadas de Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo se uniram e realizaram uma manifestação pró-democracia na Avenida Paulista, região central da capital paulista. Após um início pacífico, o ato terminou em confusão com a Polícia Militar e apoiadores do presidente Jair Bolsonaro.

De acordo com o G1, os torcedores começaram a se concentrar próximo ao Masp (Museu de Arte de São Paulo) por volta das 12 horas e gritavam palavras contra o presidente e em defesa da democracia.

A alguns metros de distância, em frente ao prédio da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), um grupo de apoiadores de Jair Bolsonaro reivindicava o fim do isolamento social e se manifestava contra o governador de São Paulo, João Dória, e o STF (Supremo Tribunal Federal). A Polícia Militar montou um cordão de bloqueio entre as duas manifestações, mas precisou intervir em dois focos de confusão.

O primeiro deles aconteceu quando integrantes de grupos opostos começaram a se provocar, causando uma discussão ríspida. Os policiais atuaram utilizando bombas de gás e spray de pimenta. O clima se acalmou, mas a confusão voltou por volta das 14h, e, para afastar os dois atos, novas bombas foram lançadas pela PM em direção aos torcedores, que também atiravam garrafas, pedras e rojões.

O confronto entre os torcedores e a Polícia Militar se intensificou a partir de então. Enquanto os policiais atiravam com bala de borracha e lançavam bombas de efeito moral, os manifestantes arremessaram artefatos e faziam barricadas com materiais encontrados pela Avenida Paulista. Ainda de acordo com o G1, a confusão só terminou por volta das 16h e ao menos cinco manifestantes foram detidos e levados ao 78º Distrito Policial dos Jardins.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE