Do totalmente presencial ao definitivamente remoto: o desafio do recomeço

De pontos de apoio emocional a concursos de fotografia, gestores de empresas têm buscado soluções criativas para melhorar a interação e o bem-estar dos colaboradores

| ASSESSORIA


A pandemia da Covid-19 trouxe uma série de desafios para a humanidade, e nas relações de trabalho não foi diferente. Diante de um novo modelo de trabalho, o psicológico dos colaboradores foi uma das grandes preocupações dos gestores. E, para manter a saúde mental em dia, esse ano e meio de trabalho remoto exigiu das lideranças e dos profissionais de Recursos Humanos a criação de soluções criativas, que pudessem proporcionar momentos de interação, mesmo que em meio a uma realidade de perdas e incertezas quanto ao futuro.

"A mudança radical para um ambiente de trabalho descentralizado e digital acelerou soluções que suportem a cultura corporativa e o bem-estar dos funcionários, que são fundamentais para a produtividade de forma continuada. Durante estes últimos 18 meses, procuramos oferecer novas experiências, incentivos e aprendizados, como forma de minimizar o efeito negativo relacionado a pandemia", destaca Ana Paula Aukar, diretora de operações da Eppendorf do Brasil, empresa alemã de Life Science especializada em soluções para laboratórios.

Pensando nisso, Ana Paula e os gestores da Eppendorf promoveram, durante todo o tempo, encontros virtuais que ofereciam, muito mais que momentos de bate-papo, pontos de apoio emocional aos colaboradores. Outra iniciativa da empresa foi a criação do primeiro concurso de fotografia mobile. O objetivo é fazer com que todos agucem um olhar fotográfico, buscando uma outra perspectiva em meio à toda a situação que estamos vivendo. Todos os trabalhadores da Eppendorf foram convidados a participar e, antes de darem os cliques, tiveram um treinamento com a fotógrafa Marina de Almeida Prado. Cada concorrente poderia inscrever três fotos, coloridas ou em preto e branco, e um moderador as apresentou à banca, composta por quatro jurados, que, por sua vez, avaliaram as fotos no formato "às cegas", sem saber o autor da imagem.

"Todo mundo da Eppendorf sabe a da minha paixão por fotografia, e nesse concurso eu aprendi muito com cada participante e os convidados da banca. Muito legal o desafio desde a ideia do concurso, passando pela organização, execução e resultados finais. Já estou ansioso para a segunda edição", afirmou Yago Sousa, organizador e moderador do concurso. Trinta e uma pessoas estão concorrendo a três prêmios. O resultado será divulgado no dia 17 de dezembro.

Atualmente, a Eppendorf vem retomando, aos poucos, o trabalho presencial, mas Ana Paula Aukar vê o trabalho híbrido (semipresencial) como um "caminho sem volta" na empresa. Os contratos de trabalho dos colaboradores, inclusive, já foram atualizados para a nova rotina, baseada em comunicação, motivação e comprometimento dos líderes e colaboradores.

"Acreditamos em um modelo de negócio próspero, para a empresa e para os colaboradores, em que a confiança tem impacto direto na produtividade e no engajamento", afirma Ana Paula Aukar.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE