Acalanto para a mulher amamda - Adail Alencar Taveira

| DO AUTOR


Adail Taveira de Alencar. Divulgação

Nos seus braços aprisionado,
o seu perfume inalando,
me sentindo pelas suas mãos acariciado,
e o seu corpo também acariciando.

Que maravilha! Como é bom te amar,
dizer palavras de amor bem baixinho,
os seus lábios com ternura beijar,
me perder nos seus carinhos.

É um delírio, um êxtase apaixonante,
momentos de pura emoção,
vivendo a magia de cada instante,
no aconchego dessa paixão.

Nos seus abraços me deleito,
sou menino carente que te quer,
me aconchego no calor do seu peito,
e te amo minha amada, minha mulher.

E você sorri meiga e apaixonada,
diz que está feliz e me adora,
fica tão linda e calada,
eternecida se emociona e chora.

Não chore meu amor, porque te amo tanto,
sei que a emoção te fez chorar,
Vem, vou te fazer um acalanto,
pra com minha ternura te confortar.

Dourados, 13-06-2.018 Ás 13:07 hs.

Nos seus braços aprisionado,
o seu perfume inalando,
me sentindo pelas suas mãos acariciado,
e o seu corpo também acariciando.

Que maravilha! Como é bom te amar,
dizer palavras de amor bem baixinho,
os seus lábios com ternura beijar,
me perder nos seus carinhos.

É um delírio, um êxtase apaixonante,
momentos de pura emoção,
vivendo a magia de cada instante,
no aconchego dessa paixão.

Nos seus abraços me deleito,
sou menino carente que te quer,
me aconchego no calor do seu peito,
e te amo minha amada, minha mulher.

E você sorri meiga e apaixonada,
diz que está feliz e me adora,
fica tão linda e calada,
eternecida se emociona e chora.

Não chore meu amor, porque te amo tanto,
sei que a emoção te fez chorar,
Vem, vou te fazer um acalanto,
pra com minha ternura te confortar.

Dourados, 13-06-2.018 Ás 13:07 hs.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE