Feira virtual “Artesão Livre Especial de Natal” acontece esta semana com opções a partir de R$ 20,00

| GOVMS / KEILA TEREZINHA RODRIGUES OLIVEIRA


Peças exclusivas e diferentes artesanatos confeccionados por reeducandos em unidades prisionais da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen) estarão disponíveis para a venda, durante a 14ª Feira Artesão Livre 'Especial de Natal', que inicia nesta quarta-feira (24.11), no formato virtual.

Para a realização, foi elaborado um catálogo dos produtos, além de convite de participação em um grupo no aplicativo de mensagens instantâneas WhatsApp especialmente criado para o evento, que terá dois dias de duração.

Estarão disponíveis para a venda tapetes, esculturas, quadros, bandejas, pinturas em tela, brinquedos, enfeites diversos, entre outros itens. São cerca de 500 artesanatos ao todo, para os mais diferentes gostos e estilos, com preços que variam de 20,00 a 1.200,00 reais.

A Feira do Artesão Livre é uma ação conjunta entre a Agepen e o Ministério Público Estadual (MPE), representado pela 50ª Promotoria de Justiça, e tem como colaboradores o Conselho da Comunidade de Campo Grande e o Instituto Ação pela Paz. Esta será a terceira edição realizada de forma remota.

Ecobags

Uma das novidades deste ano é que as 20 primeiras pessoas que comprarem ganharão como brinde sacolas ecológicas (ecobags), produzidas a partir de uniformes reutilizáveis e resíduos têxteis, produzidas por internos no Estabelecimento Penal 'Jair Ferreira de Carvalho', com apoio do presídio feminino de regime semiaberto e aberto de Campo Grande.

A produção de ecobags integra o projeto Resgate, desenvolvido pelas Divisões de Trabalho e Educação Prisional da Agepen, realizado com apoio da professora do Senai, Jéssica Vilela e a consultoria da Isabel Maxfulselt da Empresa Eco Linhas.

Catedral

Uma das peças presentes na Feira de Natal é a réplica da Paróquia Nossa Senhora Imaculada Conceição, construída pelo artesão Edmar Moreira Silva, interno do Estabelecimento Penal de Aquidauana. O trabalho foi realizado dentro do projeto Interarte, coordenado pela psicóloga Maria Odiney Moreira de Cabrera.

Com riqueza de detalhes, a obra de arte envolveu a utilização de 8.200 palitos e seis litros de cola, além de centenas de horas de trabalho e dedicação, com muito talento e criatividade.

Acesso à Feira

Para conhecer e adquirir os produtos disponíveis basta entrar no grupo do WhatsApp e visualizar o catálogo de produtos. Clique aqui  e acesse, lembrando que o grupo se destina exclusivamente à exposição e à comercialização dos produtos confeccionados pelos reeducandos. Os valores arrecadados com a venda dos artesanatos serão revertidos aos custodiados que os produziram e ao sustento de suas famílias.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE