Com 45% do corpo queimado, homem alerta para cuidados ao ficar em casa

| DOURADOSNEWS / DA REDAçãO


Momento com a fanília se transformou em pesadelo para Anderson. - Crédito: (Assessoria Santa Casa)

Sim, ficar em casa também traz riscos. Por isso, o eletricista de som automotivo, Anderson da Conceição, 36 anos, alerta a todos que estão mantendo o isolamento: redobrem a atenção. Segunbdo o site Campo Grande News, ele está internado na Santa Casa de Campo Grande com 45% do corpo queimado depois de um bife na chapa com a família.

Morador de Nova Andradina, o drama de Anderson começou em 19 de abril, quando em casa, resolveu emprestar a chapa de um conhecido para assar carne. De lá, ele foi ao posto de combustível e comprou pouco mais de 2 litros de etanol para acender o fogo do equipamento.

“Nunca tinha feito isso antes”, conta, ao lamentar e dizer que, se pudesse, voltava no tempo. “Foi a primeira vez, nunca tinha usado (etanol). Peguei emprestada a chapa e se pudesse voltar no tempo, não tinha feito nada disso”, lamenta.

Ele fala que os transtornos são muitos, desde financeiros, com “minhas economias já acabando”, até a impossibilidade de trabalhar e honrar com os compromissos assumidos com clientes na cidade.

Anderson queimou parte do corpo depois que o churrasco em família já tinha começado. Ele conseguiu ligar o equipamento adequadamente com o etanol e não esperava maiores problemas.

O fogo tinha apagado e ele acabou ficando sozinho na varanda já que a esposa, a enteada e uma prima que estava com eles entraram para dar banho em sua filhinha, de apenas 7 meses de idade.

“Fui então trocar o pedestal da chapa, que tinha acabado o álcool e nisso, completei ele com a tampa do galão onde estava o álcool para ver se não estava pegando fogo e então, fui tampar o galão. Foi instantâneo, deu fogo invisível e o galão explodiu, tudo muito rápido”, contou.

De dentro da casa, todas assustaram com o barulho e Anderson sentiu que o fogo se alastrava, primeiro pelos braços, já que o galão explodiu em sua mão e então na camiseta e no chapéu de palha que usava.

“Percebi que começou a queimar o lado da vista direita e nesse apavoramento, arranquei a camiseta, o chapéu, até que minha esposa jogou uma bacia de água em mim e o fogo apagou”, relata.

Depois disso, o SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi acionado e Anderson levado a hospital da cidade. Sem estrutura para cuidar de seus ferimentos, a unidade de saúde o encaminhou para a Santa Casa de Campo Grande, onde deve passar por cirurgia de enxerto na quarta-feira.

Ele teve queimaduras de 1º e 2º graus no rosto, braços e tórax. “Que isso ai sirva de alerta para o pessoal que está ficando em casa com a família. É num momento de bobeira que uma tragédia pode acontecer”, afirma. Não há data prevista para alta hospitalar. 



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE