Exportação de industrializados registra em setembro melhor resultado para o mês em toda série histórica em MS

| ASSESSORIA/FIEMS


Foto: Divulgação

A receita com a exportação de produtos industrializados de Mato Grosso do Sul alcançou em setembro US$ 374,6 milhões, indicando crescimento de 1% em relação ao mesmo mês de 2020, quando o valor ficou em US$ 372,2 milhões. Esse foi o melhor resultado já registrado para o mês em toda a série histórica da exportação de produtos industriais do Estado.

Os dados constam no Radar Industrial, elaborado pela FIEMS. Segundo o coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da FIEMS, Ezequiel Resende, no acumulado de 2021 a receita total alcançou US$ 3,249 bilhões. “Com isso, houve crescimento de 13% em relação ao mesmo período de 2020, quando o valor ficou em US$ 2,876 bilhões.

Essa é a maior receita já alcançada com a exportação de produtos industriais no período de janeiro a setembro, e a primeira vez que atinge a marca de mais de US$ 3 bilhões. “Quanto à participação relativa, no mês, a indústria respondeu por 76% de toda a receita de exportação de Mato Grosso do Sul. Já no acumulado do ano, a participação está em 60%”.

Os segmentos industriais que têm maior participação nas receitas de exportação são “Celulose e papel”, “Complexo frigorífico” e “Óleos vegetais e demais produtos de sua extração”, que somam 81% do total das vendas externas. No grupo “Celulose e papel”, os principais produtos exportados de janeiro a setembro foram pastas químicas de madeira e outros papéis e cartões e os maiores compradores foram China, Estados Unidos, Itália e Holanda.

No grupo “Complexo frigorífico”, os principais produtos exportados foram carnes desossadas congeladas de bovino, pedaços e miudezas congelados de frango, carnes desossadas refrigeradas de bovino e frango inteiro congelado. Os principais países importadores foram China, Chile, Hong Kong e Estados Unidos.

Já no grupo “Óleos vegetais e demais produtos de sua extração”, os principais produtos exportados foram bagaços e resíduos sólidos da extração do óleo de soja, farinhas e pellets da extração do óleo de soja e óleo de soja bruto. Os principais países compradores foram Holanda, Venezuela, Indonésia e Polônia.

 



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE