Merces Dias, uma das referências vivas do saudoso futebol douradense - de tantas glórias e conquistas - completa neste dia 27 de abril,  83 anos anos de vida. Ele atuou na chamada época de ouro do Ubiratan Esporte Clube, jogando como lateral direito no Leão da Fronteira e depois foi treinador do time por um bom período. Nascido no Paraná, jogou por grandes times no seu estado natal e também em São Paulo, antes de aportar em Dourados na década de 1.970, onde fixou residência de forma definitiva.

Merces Dias deixou um legado de trabalho e dedicação ao Ubiratan, como jogador e treinador, contribuindo também para fortalecer o respeitável nível técnico e tático do futebol profissional douradense. A força do futebol local sintetizou a alcunha dada ao Ubiratan: Leão da Fronteira, um time destemido composto por feras nos gramados e um nível técnico apurado que chamava a atenção, dentro e fora do Estado.
No quesito elegância, Merces Dias também foi um craque fora de campo, trabalhando como alfaiate. É que na época do futebol raiz, jogadores e comissão técnica atuavam praticamente por amor à camisa e, por isso, era necessário ter um ofício à parte para garantir o sustento familiar. Assim como no futebol, seu atelier era bastante concorrido, pois sua alta costura era alinhavada de modo a atender o modelo mais simples até o mais apurado.
As duas atividades do mestre Merces caminharam juntas até poucos anos atrás, quando ele decidiu se aposentar. Antes, porém, foi treinador de escolinhas de futebol em Dourados por um longo período, até a idade impor o encerramento de suas atividades, dentro e fora de campo. Hoje, ao completar 83 anos de forma lúcida, ele revive com familiares e amigos os tempos de glória que não voltam, mas que estão vivos na sua memória e na de todos que tiveram o privilégio de conhecer e participar.
Para Merces Dias Junior, o primeiro de seus três filhos, a história de vida de seu pai é exemplar, em função da dedicação e da ética profissional empregadas nas atividades que desenvolveu, trabalhando com honestidade e respeito. "Ele é o orgulho de nossa família e minha referência", exclama de forma afetuosa seu filho.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE