Raphinha exalta primeira oportunidade com a Seleção Brasileira: ‘Ficha ainda não caiu’

Vestindo a Amarelinha pela primeira vez, o atacante do Leeds United falou sobre a sensação de defender a Canarinho.

| ASSESSORIA/CBF


Foto: Leandro Lopes

Nesta Data FIFA de outubro, Raphinha terá a chance de realizar um sonho de garoto: representar seu país junto à Seleção Brasileira. Convocado pela primeira vez, o atacante do Leeds United admitiu que a ficha ainda não caiu, embora esteja já concentrado com a delegação e alguns jogadores, em Bogotá, na Colômbia. 

“Para falar a verdade, mesmo estando aqui a minha ficha ainda não caiu. Estava conversando mais cedo com meus pais, treinei, encontrei jogadores dos quais sempre fui fã e torci, mas a ficha ainda não caiu. Acredito que só deve cair depois de eu fazer a minha estreia, depois da primeira partida. É um momento que mistura muitos sentimentos, alegria, felicidade, nervosismo pelo lado positivo também, mas já já vai passar esse frio na barriga”, admitiu.

Em conversa com a imprensa realizada em zona mista virtual nesta terça-feira (5), o jovem de 24 anos aproveitou para se apresentar aos torcedores brasileiros. Animado com a oportunidade de estrear pela Canarinho, Raphinha garantiu que não faltará garra e dedicação dentro de campo.

“O que posso dizer é que sou um jogador muito esforçado, busco dar sempre meu melhor seja nos jogos ou nos treinamentos. Acaba sendo normal os torcedores, principalmente aqui no Brasil, não me conhecerem, posso dizer para eles esperarem de mim é muita dedicação, vontade e, consequentemente, eles vão me conhecendo aos poucos”, frisou.

Concentrada em Bogotá (COL), a Seleção Brasileira, cada vez mais completa, treina com foco no primeiro compromisso de outubro, diante da Venezuela, nesta quinta-feira (7), em Caracas. Às vésperas de uma possível estreia, Raphinha explicou como suas credencias podem acrescentar ao estilo de jogo imposto pelo técnico Tite.

“Cada jogador tem um estilo de jogo diferente, cada um contribui da melhor forma possível com seu estilo de jogo. O que posso fazer é manter minha maneira de jogar, usando minha velocidade, meu drible, chegar perto do gol, para aproveitar minha finalização, que é um dos pontos fortes que tenho. Unindo essas coisas, são pontos positivos do meu jogo em que posso ajudar a Seleção”, resumiu.

A bola rola às 20h30 (Brasília) para Brasil x Venezuela. Na sequência, a Seleção Brasileira terá pela frente Colômbia e Uruguai. A partida contra os colombianos será no domingo (10), em Barranquilla, às 18h (Brasília), enquanto o duelo com os uruguaios está marcado para às 21h30 (Brasília) do dia 14, em Manaus.