Governo do Estado acelera pavimentação de 113 km de rodovias-tronco da Rota Bioceânica

| COMUNICAçãO SUBCOM


Foto: Saul Schramm

Três frentes de obras de pavimentação asfáltica em execução pelo Governo do Estado estão mudando o sistema viário nas regiões sudoeste e sul do Estado, levando desenvolvimento, criando novas rotas de escoamento da produção e encurtando distâncias entre as cidades de Guias Lopes da Laguna e Jardim com Antônio João e Ponta Porã. Um ramal rodoviário que se integra ao eixo logístico da Rota Bioceânica, em direção aos portos do Chile.
Com investimentos de R$ 260 milhões, a secretaria estadual de Infraestrutura (Seinfra) leva infraestrutura a uma das regiões de maior produção de grãos de Mato Grosso do Sul, interligando por asfalto as rodovias MS-382, MS-166 e MS-270, totalizando mais de 113 quilômetros. Este tronco se interliga aos trevos com as BR-060 e BR-267, em Guia Lopes da Laguna e Jardim, e à MS-384, que cruza a fronteira com o Paraguai, de Caracol a Ponta Porã.

“São importantes investimentos em logística que dão competitividade aos produtores sul-mato-grossenses e encurta distâncias. A ampliação da malha pavimentada melhora as condições de produção de todos, do pequeno, médio e grande produtor, assim como dos assentados, beneficiando uma região que será corredor de escoamento de commodities aos portos de Porto Murtinho e à Bioceânica”, afirma o governador Reinaldo Azambuja.

Caminhos de produção
A primeira etapa de pavimentação da MS-382, a partir da ponte sobre o Rio Santo Antônio (Guia Lopes da Laguna), de 37,7 quilômetros, está com mais de 50% do serviço executado pela empresa Bandeirantes. Já foram concluídos 20 quilômetros de pavimento e outros 10 quilômetros concentram homens e máquinas com trabalho de terraplenagem, com trechos de rochas que estão exigindo processo de detonação.

"São investimentos estratégicos associados ao novo momento que Mato Grosso do Sul, no qual estamos vendo uma mudança produtiva nessa região totalmente visível e que vai avançar cada vez mais, porque ao investir nessas rodovias estamos trazendo mais competitividade para MS. Este novo eixo interligando esses 113 quilômetros vai trazer benefícios diretos não apenas à região como a todo o Estado,"  ressalta Eduardo Riedel, secretário de Infraestrutura.

O engenheiro responsável pela obra, Marlos Bernardi, informa que a empresa impôs um ritmo acelerado na execução para antecipar a conclusão o trecho, previsto para dezembro de 2022, em oito meses. “Estamos trabalhando com 250 operários durante os sete dias da semana”, disse.

A Bandeirantes também ganhou a licitação do segundo trecho (até o entroncamento com a MS-166), de 39,5 quilômetros, e aguarda ordem de serviço da Agesul.
A partir da MS-166, mais duas frentes de obras estão em direções opostas entre o distrito Cabeceira do Apa e Copo Sujo, totalizando 34 quilômetros, se integrando as MS-382 e MS-270. Na outra ponta da MS-166, no limite entre os municípios de Nioaque e Maracaju, o governador Reinaldo Azambuja autorizou a pavimentação de 37,5 quilômetros, trecho entre as BR-060 e BR-267, beneficiando região de produção agropecuária e usinas de álcool.



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE