Governo amplia em 45,9% o número de auxílios do Bolsa-Atleta e Bolsa-Técnico

| GOVMS / BRUNO CHAVES


No ano em que Mato Grosso do Sul saiu vitorioso dos Jogos Paralímpicos de Tóquio-2020, conquistando quatro medalhas de ouro para o Time Brasil, o Governo do Estado amplia em 45,9% a concessão de auxílios do programa Bolsa-Atleta e Bolsa-Técnico. Decreto do governador Reinaldo Azambuja, que será publicado no Diário Oficial do Estado (DOE-MS) desta quinta-feira (16), aumenta de 270 para 394 o número de bolsas pagas aos profissionais do esporte.

Com a nova quantidade, o programa segue dividido em 11 categorias:

O auxílio estadual pago aos esportistas sul-mato-grossenses via Fundação de Desporto e Lazer de Mato Grosso do Sul (Fundesporte) tem duração de 12 meses. As novas bolsas serão distribuídas no ano que vem, em contratos firmados a partir de agosto de 2022, após o encerramento das bolsas de 2021.

Atualmente, o Governo do Estado investe R$ 227,7 mil mensais no Bolsa-Atleta e Bolsa-Técnico. Com a ampliação do número de auxílios, a aplicação de recursos no programa será R$ 316,7 mil/mês. Os dados são da Consultoria Legislativa do Governo do Estado (Conleg), que trabalhou na edição do decreto.

Outros investimentos no esporte

Em agendas na última semana, o governador Reinaldo Azambuja anunciou novos investimentos na área do esporte. Ao lado do paratleta Yeltsin Jacques, beneficiário do Bolsa-Atleta e dono de dois ouros nas Paralimpíadas de Tóquio-2020, ele falou do aumento de auxílios para atletas e técnicos. Já com praticantes do Laço Comprido, comunicou o lançamento de editais da Fundesporte que vão repassar R$ 3 milhões para federações e clubes esportivos e garantiu que os “laçadores' podem participar do Bolsa-Atleta.

'Vamos criar mais uma bolsa para os atletas de alto rendimento e ampliar o número de beneficiários do Bolsa-Atleta e Bolsa-Técnico. Com isso, vamos dobrar o número de bolsas. Ou seja, vamos conseguir atender mais pessoas', falou o governador em reunião com Yeltsin Jacques. Já em encontro com laçadores, disse: “vamos ampliar o programa no ano que vem e os praticantes do Laço Comprido poderão se inscrever'.

Bruno Chaves, Subcom Foto capa: Saul Schramm



PUBLICIDADE
PUBLICIDADE